Você sabia que a capivara é o maior roedor do mundo? Sabia também que existem três ratos para cada ser humano? E que as chinchilas estão entre os animais mais peludos que existem? Veja nas linhas a seguir algumas curiosidades sobre os roedores, ou seja, animais da família dos ratos, chinchilas e capivaras.

 

Rodentia significa roedor. Os roedores são mamíferos com dentes incisivos adaptados para roer. O detalhe é que esses dentes nunca param de crescer. Os roedores constituem uma das mais numerosas ordens de mamíferos placentários – os animais com placenta –, com cerca de 2 mil espécies. São em sua imensa maioria pequenos, como o rato, a chinchila e o esquilo.

 

A capivara é o maior roedor do mundo. Ela possui dentes incisivos que podem atingir até 8 centímetros de comprimento. Uma capivara adulta pode chegar aos 80 quilos.

 

Capivaras são excelentes nadadoras. Elas vivem perto de rios e lagoas, para onde costumam fugir em caso de perigo.

 

Uma curiosidade super nojenta sobre as capivaras: elas comem as fezes de outras capivaras. O mais interessante é que elas sabem pela cor qual tipo de cocô pode ser comido.

 

Capivaras são animais comuns no meio urbano, inclusive na cidade de São Paulo. O problema é que elas são hospedeiras naturais de um carrapato extremamente nocivo para o ser humano. Chamado de carrapato-estrela, esse tipo de aracnídeo (parente das aranhas) pode transmitir a febre maculosa.

 

Segundo cálculos da OMS (Organização Mundial da Saúde), existem três ratos para cada ser humano na Terra. Como a população humana é de aproximadamente 7 bilhões de pessoas, isso dá… acredite, 21 bilhões de ratos!

 

As três espécies de ratos que convivem com os seres humanos são o camundongo, o rato de telhado e a ratazana.

 

Camundongos são normalmente encontrados dentro das residências (em armários de cozinha, por exemplo), ratazanas em esgotos e buracos no solo, e ratos de telhado no lugar que lhes dá nome.

 

Ratos possuem uma extraordinária habilidade para se localizar, aprender caminhos novos e criar atalhos em lugares conhecidos (em resumo: eles possuem uma noção espacial mais evoluída do que a nossa).

 

Uma fêmea de ratazana pode dar à luz 200 descendentes em apenas um ano.

 

Por falar em ratos, você sabia que eles não vomitam?

 

Ratos não roem apenas porque sentem fome. Eles sentem necessidade roer para gastar os dentes, que crescem sem parar.

 

Assim como os seres humanos, os ratos podem sentir cócegas. Eles emitem ruídos de alta frequência parecidos com gargalhadas quando são estimulados em determinadas áreas do corpo.

 

O bacilo transmissor da peste negra – uma epidemia que devastou a Europa no século XIV – é muito comum em roedores como ratazanas, esquilos e até marmotas.

 

O principal agente causador da grande epidemia de peste negra foi a pulga que, ao picar uma pessoa, acabava transmitindo a bactéria para ela. Mas quem contaminava a pulga? Os ratos. Devido à pouco higiene da época, os ratos eram animais bastante comuns tanto nas cidades quanto no campo.

 

O pelo da chinchila é 20 vezes mais fino que o cabelo humano.

 

O pelo da chinchila é um dos mais macios que existem. Elas possuem uma altíssima densidade na pelagem, com cerca de 20 mil pelos para cada centímetro quadrado de pele.

 

Enquanto um folículo humano permite o nascimento de um único pelo, o folículo da chinchila permite o de 80.

 

De tão densos, os pelos da chinchila não permitem a sobrevivência de carrapato e pulgas. Eles simplesmente não conseguem sugar o sangue do animal.

 

Em virtude do pelo macio e suave, a chinchila é um dos animais mais visados pela indústria de casacos de pele. Existem até fazendas especializadas na criação desses animais para abate.

 

Para fabricar um único casaco longo de pele, são abatidas de 20 a 30 chinchilas.

 

As chinchilas foram tão caçadas que só restaram 11 exemplares (detalhe: eram apenas três fêmeas). Praticamente todas as chinchilas hoje existentes descendem desses poucos sobreviventes.

 

O porquinho-da-Índia é criado por algumas populações indígenas do Peru, Bolívia e Equador como animal de abate. O costume de comer a sua carne é tão antigo quanto o Império Inca.

 

O porquinho-da-Índia não é porco e muito menos da Índia. Eles foram batizados com esse nome porque eram originários das Índias Ocidentais, nome pelo qual era conhecido o continente americano na época dos grandes descobrimentos.

 

Os preás – uma espécie de porquinho-da-Índia – são extremamente comuns na região Nordeste. sua carne já foi bastante consumida pelos sertanejos.

 

A vida sexual do hamster começa aos 45 dias de idade. O macho é capaz de copular com seis fêmeas num único dia.

 

Os castores produzem através de uma glândula uma substância que o mantém impermeabilizado. Chamada de castoreum, essa substância é largamente utilizada pela indústria de cosméticos.

 

Castores são animais monogâmicos. Os casais permanecem juntos durante toda a vida.

 

A hibernação é um hábito comum no reino animal. Entre os mamíferos, a marmota é um dos que têm o período de hibernação mais prolongado. Elas podem dormir durante nove meses, subsistindo apenas da gordura armazenada no corpo. Durante esse período, os batimentos cardíacos do animal podem diminuir de 130 para apenas 4 por minuto.

 

Uma dúvida que muitas pessoas gostariam que fosse respondida é: como os porcos-espinhos fazem sexo? A resposta não podia ser mais simples e curiosa. Como não possui espinhos na barriga, o casal simplesmente pendura-se em um galho de árvore para se acasalar. Assim, ambos podem garantir a reprodução da espécie sem causar ferimentos no parceiro.

 

Os espinhos do porco-espinho da família Hystricidae não matam ninguém, mas são capazes de trazer sérios problemas para o animal ferido por eles. Como são pêlos compridos e duros, eles podem eventualmente provocar infecções doloridas que podem levar ao óbito.

 

Fontes: Wikipédia, Mil Bichos, Pesquisas de Conhecer, Mundo Estranho.

 

Share: