Típico do continente americano, o beija-flor é uma das menores aves do mundo. Das mais de 300 espécies, 80 vivem no Brasil. Eles podem voar a dezenas de quilômetros por hora. Acompanhe os tópicos abaixo e descubra informações, além de dados curiosos, sobre essa pequena mas graciosa ave.

 

Os beija-flores são aves da família Trochilidae, distribuídas em 330 espécies, com 80 vivendo no Brasil.

 

O beija-flor é uma ave típica do continente americano. Embora seja mais abundante nas regiões próximas ao Equador, pode ser encontrado do Alaska a Patagônia.

 

A maior espécie é o beija-flor gigante, que pesa em torno de 25 gramas e vive em altitudes que podem superar os 4 mil metros. A menor é o beija-flor abelha, que pesa apenas 2 gramas.

 

Com cerca de 30 milhões de anos, o registro fóssil mais antigo de um beija-flor foi encontrado na Alemanha, um país onde curiosamente não existe esse tipo de ave.

 

Esse tipo de ave se alimenta basicamente de néctar, embora algumas espécies também comam insetos e pequenos animais.

 

A língua fina do beija-flor serve para tirar o néctar do fundo das flores. Trata-se de uma língua extremamente veloz, capaz de carregar néctar 13 vezes por segundo.

 

Por se alimentar do néctar no interior das flores, os beija-flores são considerados importantes agentes polinizadores.

 

Acredite se quiser, mas o coração do beija-flor bate em torno de 500 vezes por minuto, chegando a 1.200 durante o voo. Aliás, o coração é responsável por 15% do volume do corpo desse tipo de ave.

 

O beija-flor bate as asas 90 vezes por segundo, quatro vezes mais rápido que uma libélula. Ele também é capaz de voar para trás e até de ponta cabeça.

 

Por falar nisso, você sabia que algumas espécies podem voar a até 150 quilômetros por hora?

 

O beija-flor não bate a asa de cima para baixo para ficar suspenso no ar, mas da frente para trás. Detalhe: ele só fica parado quando vai se alimentar.

 

Os machos são mais coloridos do que as fêmeas. Acredita-se que a plumagem chamativa do macho seja um recurso para atrair parceiras.

 

Fontes: Wikipédia, UOL Educação, How Stuff Works, Galileu.

 

Share: