Chamados de “ratos de asas”, os pombos podem transmitir diversas doenças aos seres humanos. Mas você sabia que existem mais de 300 espécies de pombos? Sabia também que os pombos são capazes de voar a velocidades enormes? Percorra as linhas a seguir e descubra 15 pequenas curiosidades sobre essas aves.

 

Existem mais de 300 espécies de pombos (aves da ordem dos columbiformes), mas apenas 3 são consideradas pragas urbanas.

 

Os pombos vivem, em média, 15 anos.

 

Os antigos egípcios já utilizavam pombos-correios. Conta-se que o faraó Ramsés III anunciou ao povo do Egito a sua chegada ao trono através de pombos-correios.

 

Na década de 70, a CIA criou pombos com câmeras fotográficas presas ao peito para espionar o território inimigo. O problema é que o peso da máquina era tamanho que os pombos voltavam para casa a pé.

 

A arte de criar pombos-correios é chamada de columbofilia.

 

Aliás, você sabia que columbus é pombo em latim?

 

Os pombos foram trazidos para o Brasil em 1808 pela família real portuguesa.

 

Os pombos são capazes de voar a até 80 quilômetros por hora.

 

Pombos são capazes de enxergar espectros de ultravioleta e infravermelho, que são imperceptíveis para o ser humano.

 

Os cientistas suspeitam que os pombos se orientam pelo campo magnético da Terra.

 

Os predadores mais comuns são corujas, águias e gatos.

 

Um único pombo é capaz de produzir 2,5 quilos de fezes por ano.

 

Entre as doenças transmitidas por pombos estão as alergias, dermatites, salmoneloses, criptococoses, histoplasmoses e ornitose.

 

A ave mais abundante da Terra foi o pombo-viajante (ou passenger pigeon) da América do Norte. Estima-se que existiam 5 bilhões dessas aves somente nos Estados Unidos. Ele vivia em colônias de até 2 milhões de indivíduos, mas foram tão caçados que não sobrou nenhum para contar a história. O último exemplar da espécie morreu em 10 de setembro de 1 914 num zoológico.

 

Share: