Os insetos são tão antigos quanto os dinossauros. Existem fósseis de insetos com mais de 300 milhões de anos.

 

Um dos fósseis mais antigos é o de uma libélula gigante, justamente com 300 milhões de anos.

 

Os insetos representam 50% de todos os seres vivos do planeta e 90% de todos os animais.

 

Os especialistas estimam entre 5 e 30 milhões o número de espécies de insetos. Por enquanto, apenas 1 milhão foi catalogada pela ciência.

 

Mas quantos insetos existem no mundo? Os cientistas não sabem – e provavelmente jamais saberão –, mas arriscam a estimativa de 10 quintilhões de indivíduos.

 

Para se ter uma ideia da variedade de insetos, só de besouros existem 300 mil espécies e de mariposas e borboletas, 200 mil.

 

Acredite se quiser, mas existe em torno de 165 milhões de insetos para cada ser humano.

 

Uma em cada 17 mortes de seres humanos é provocada por insetos. As pessoas morrem por veneno ou por doenças transmitidas pelos bichinhos.

 

O inseto que mais mata pessoas – e é o animal mais perigoso do mundo, cabe aqui frisar – é o mosquito. Ele transmite doenças como malária, febre amarela, febre do Nilo e dengue.

 

A doença transmitida por insetos que provoca o maior número de vítimas fatais é a malária, com 2 milhões de mortes por ano.

 

Todos os anos, 8 milhões de pessoas ficam cegas em virtude do tracoma, uma doença oftalmológica transmitida por insetos.

 

O maior inseto do mundo é o Titanus giganteus, um besouro que vive na Amazônia. Um Titanus pode medir 17 centímetros.

 

O menor é a mosquinha Megaphragma caribea, com diminutos 0,17 milímetros.

 

O inseto que voa mais rápido é o gafanhoto-do-deserto, que atinge velocidade de até 33 quilômetros por hora.

 

O que viveu mais foi uma rainha da espécie formiga-preta-do-jardim, que chegou a quase 29 anos de idade.

 

Cada olho da libélula tem 30 mil lentes.

 

Aranhas, ácaros, tatuzinhos e centopeias não são insetos. Aranhas e ácaros são aracnídeos, tatuzinhos são crustáceos e centopeias são quilópodes.

 

Das 5 mil espécies de baratas conhecidas, apenas 1% são consideradas pragas urbanas.

 

A espécie de barata mais comum no Brasil é a Periplaneta americana (ou barata americana). O curioso é que, apesar do nome, ela posui origem africana.

 

A audição da barata é tão sensível que ela é capaz de detectar a aproximação de outra barata, bem como pequenos tremores de terra (algo como 0,007 graus na escala Richter).

 

Baratas podem se arrastar dezenas de metros mesmo com as vísceras expostas depois de uma chinelada. E se uma pata for arrancada, ela pode recuperá-la em poucos dias.

 

O Brasil é um dos países com maior número de espécies de formigas: 2.000.

 

Uma única colônia de formigas – ou formigueiro – pode conter até 100 mil membros.

 

Uma das formigas mais conhecidas dos brasileiros é a saúva. Elas cortam pedaços de folhas e levam-nas para o formigueiro, onde esperam que acumulem um determinado tipo de fungo que lhe serve de alimento.

 

A iça (inseto também conhecido como tanajura) é bastante consumida no interior de São Paulo e outros estados, normalmente torradas e servidas com farinha de mandioca.

 

A formiga mais perigosa do mundo é a formiga de fogo. Sua picada causa fortes reações alérgicas na vítima, podendo em alguns casos levá-la à morte.

 

Já sabemos que as colônias de formigas podem abrigar até 100 mil indivíduos. Mas isso não é nada diante das colônias de cupins. Alguns cupinzeiros, como o da espécie Macrotermes africano, podem ter 5 milhões de membros.

 

O pozinho que costumamos encontrar debaixo dos móveis não é serragem, é cocô de cupim.

 

Siriris nada mais são do que cupins recém-nascidos. Quando perdem as asas, eles vão morar em móveis, portões, objetos decorativos, enfim, tudo o que for de madeira.

 

Uma pulga consome por dia 15 vezes o próprio peso em sangue!

 

O maior saltador do reino animal é a pulga. Ela é capaz de saltar 200 vezes o comprimento do seu corpo.

 

Em geral, só a fêmea do pernilongo se alimenta de sangue. O macho normalmente consome néctar.

 

São registrados cerca de 100 milhões de casos de dengue por ano no mundo todo. Os de dengue hemorrágica passam de 500 mil/ano.

 

O mosquito (ou pernilongo, ou muriçoca, ou carapanã, dependendo da região) transmissor da dengue é o Aedes aegpyti, também responsável pela transmissão do tipo urbano da febre amarela.

 

Aedes aegypti é um nome de origem grega e latina, cujo significado é “o odioso do Egito”. Aedes vem do grego “odioso” e “aegypti” do latim “Egito”.

 

O Aedes aegypti veio para o Brasil através de navios provenientes da África, provavelmente em navios negreiros.

 

Mas como identificar o Aedes aegypti? Fácil, ele é escuro e possui manchas brancas no corpo.

 

As moscas batem as asas quatro vezes mais rápido do que os beija-flores, o que dá 330 vezes por segundo.

 

As moscas esfregam as patas para limpá-las. Elas possuem receptores de aroma e sabor que precisam estar limpos para que ela possa “reconhecer” novos alimentos.

 

Os ovos de moscas são depositados sobre matéria orgânica em decomposição como restos de alimentos, fezes cadáveres etc. Uma fêmea bota em torno de 120 ovos, todos com menos 1 milímetro.

 

O primeiro inseto a descobrir um cadáver é quase sempre a mosca. Detalhe: em países quentes como o Brasil, o cadáver é consumido por 60 espécies de insetos.

 

O estágio de desenvolvimento das larvas de moscas pode ajudar peritos a descobrir o chamado “intervalo pós-morte”, ou seja, o tempo decorrido entre a morte de uma pessoa e a descoberta do corpo.

 

O animal com maior espermatozoide é a mosca-das-frutas. A mosca tem apenas 3 milímetros de comprimento, mas o seu espermatozoide chega a medir 5,8 centímetros. É como se o espermatozoide de um homem de estatura mediana medisse 33 metros.

 

Uma abelha faz cerca de 40 voos diários em busca de néctar e pólen. E mesmo que voe 2 quilômetros longe da colmeia, a abelha nunca erra o caminho de volta.

 

O mel nada mais é do que vômito de abelha.

 

Para produzir o equivalente a 1 quilo de mel, as abelhas precisam visitar em torno de 5 milhões de flores.

 

Abelhas morrem depois que picam uma pessoa. Mas por que isso acontece? Por que parte do abdômen do inseto é arrancado junto com o ferrão.

 

Você sabia que 1/6 da produção mundial de alimentos é consumida por insetos?

 

Share: