Ao contrário de dezenas de países (alguns pequenos, convém aqui ressaltar), o Brasil possui uma unidade linguística impressionante. O português é falado e compreendido com clareza por qualquer pessoa que tenha nascido entre o Oiapoque e o Chuí. Mas somos uma nação com diversos sotaques e expressões regionais. Nas próximas linhas, você terá a oportunidade de conhecer algumas gírias, expressões e frases comuns na região sul, sobretudo no estado do Rio Grande do Sul. Acompanhe.

 

Abichornado – envergonhado, aborrecido, triste;

A la pucha – surpresa, espanto;

À meia guampa – levemente bêbado;

Abrir cancha – abrir espaço;

Amargo – o mesmo que chimarrão;

Aprochegar – aproximar-se, chegar perto;

Arrastar a asa – enamorar-se;

Aspa-torta – mal-humorado, aborrecido;

Bagual – pessoa mal-educada;

Baita – grande, muito grande;

Bate-coxa – dança, baile;

Bergamota – mexerica, tangerina;

Bolear a perna – descer do cavalo;

Bolicho – boteco;

Borrado – bêbado;

Branquinho – beijinho (doce de festa);

Buenacha – boa;

Bueno – bom;

Cacetinho – pão francês;

Campear – procurar algo, sair à procura de algo;

Charlar – conversar;

Chasque – mensagem, recado, mensageiro;

China – mulher morena ou com traços indígenas;

Chinchado – satisfeito, farto, cheio;

Chinoca – diminutivo de china;

Chorar as pitangas – reclamar bastante;

Com o pé no estribo – pronto para sair, com bastante pressa;

Cusco – cão abandonado, vira-lata;

Deitar nas cordas – fazer corpo mole;

De laço a laço – em toda a extensão;

De prima – na primeira tentativa;

De varejo – descer de forma fácil;

Dente-seco – valente, destemido;

Desabotinadado – pessoa da pavio curto, adoidado;

Despacito – devagar;

Dobrar o cotovelo – beber;

Em cima do laço – em caima da hora;

Embretado – com problemas, em apuros;

Enrolar o poncho – preparar-se para sair;

Entonces – então;

Entregar as fichas – ceder, concordar;

Entrevero – briga, confusão, desordem;

Esgualepado – desarrumado, desengonçado, quebrado;

Espichar a canela – morrer;

Esquilador – sujeito que faz tosquia;

Faceiro – alegre, feliz;

Fandango – espécie de dança gaúcha, baile popular;

Frio de renguear cusco – frio extremo;

Ginetear – montar em cavalo arisco;

Guaiaca – cinto largo de couro tipicamente gaúcho;

Guampa – chifre;

Guasca – sujeito valente e/ou forte;

Guri – menino, garoto;

Haragano – preguiçoso, vagabundo;

Hasta – até;

Inticar – provocar, irritar;

Jogar o pelego – expor-se a um perigo, arriscar-se;

Juntar os trapos – casar;

Lagartear: se expor preguiçosamente ao sol;

Lambão – porco, imundo;

Lamber a criar – mimar o filho;

Largar de mão – desistir;

Loco – muito;

Lomba – ladeira;

Macanudo – bacana, legal, bonito;

Mamão – explorador;

Manotaço – bofetada, tapa;

Matear – tomar chimarrão;

Me caiu os butiás do bolso – ficar surpreso, ficar chocado;

Minuano – vento frio que vem do Sudoeste;

Negrinho – brigadeiro;

Nem upa – rapidamente;

No mato sem cachorro – em dificuldades;

Oigalê – alegria, surpresa, admiração;

Olhar de revesgueio – olhar atravessado;

Pago – lugar de nascimento ou de criação;

Pandorga – papagaio, pipa;

Parcal – controlador de velocidade;

Passar o relho – dar uma surra;

Passar um pito – dar uma bronca;

Patrão Velho – Deus;

Peleia – briga, contenda;

Petiço – pequeno;

Prenda – moda gaúcha;

Querência – local de nascimento ou de criação, lugar muito querido;

Relho – chicote com cabo de madeira;

Riscar a estrada – sair em disparada, sair a galope;

Roleta – catraca;

Salchipão – sanduíche com salsichão assado;

Sinuelo – animal manso, utilizado para acalmar os outros;

Sentar o braço – bater, surrar, espancar;

Sofrenaço – puxão nas rédeas do cavalo para fazê-lo parar;

Taipa – burro, ignorante;

Tertúlia – reunião familiar ou de amigos;

Trago – bebida alcoólica;

Trotear –caminhar a trote, viajar;

Trovar – prosear, xavecar;

Trava – freio, breque;

Uma-de-pé: briga, luta;

Vaqueano – quem sabe o caminho, guia;

Vivente – indivíduo;

Voltear – passear;

Xirú – pessoa mais velha e experiente, amigo;

Xucro – pessoa grosseira ou cavalo arisco.

 

Fontes: Wikipédia, Guia da Semana.

 

Share: