Os 100 anos da imigração japonesa no Brasil foram comemorados com exposição e festivais, com a presença de membros da família real daquele país. Mas o que você sabe sobre a vinda de imigrantes do Japão para o Brasil? Qual a influência dos japoneses na cultura brasileira? Confira nas linhas a seguir alguns fatos interessantes e curiosidades sobre a imigração japonesa.

 

As primeiras 165 famílias chegaram no porto de Santos em 18 de junho de 1908, trazidas pelo navio Kasato Maru. A maior parte era constituída de camponeses vindos do norte e sul do Japão para trabalhar nas fazendas de café do interior paulista.

 

Os novos imigrantes foram distribuídos em seis fazendas, mas… a dificuldade de adaptação foi gigantesca. Tanto é verdade que dos 781 imigrantes que chegaram pelo Kasato Maru, apenas 192 permaneceram no Brasil.

 

Nos primeiros 10 anos da imigração vieram cerca de 15 mil imigrantes japoneses para cá. De 1918 a 1940, foram aproximadamente 160 mil nipônicos que vieram moram em terras brasileiras.

 

Era para a imigração japonesa ter começado em 1897 – quer dizer, 10 anos antes da chegada do Kasatu Maru. Ou seja, a viagem do primeiro navio com japoneses para trabalhar nas lavouras de café só não ocorreu naquele ano por causa das desvalorizações do preço do produto no mercado internacional (elas duraram até 1906).

 

O Ryojun Maru, segundo navio com imigrantes para trabalhar nas lavouras de café chegou aqui em 28 de junho de 1910.

 

A maioria dos recém-chegados nos anos seguintes ao Kasato Maru preferiu se estabelecer no estado de São Paulo, onde havia um núcleo de imigrantes japoneses. Alguns se estabeleceram no Paraná e outros na Amazônia.

 

Os estados com maior número de descendentes de japoneses são, pela ordem: São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul.

 

Os municípios com maior percentual de descendentes de japoneses são: Assaí (PR), Mogi das Cruzes (SP), Bastos (SP), Guatapará (SP) e Uraí (PR).

 

As primeiras gerações de japoneses sofreram bastante preconceito no Brasil, principalmente durante a Segunda Guerra Mundial, quando o então presidente Getúlio Vargas proibiu o uso da língua japonesa e as manifestações culturais nipônicas no país.

 

Os japoneses trouxeram diversos alimentos que se incorporaram ao cardápio dos brasileiros, entre os quais o caqui, a uva-itália (que apesar de italiana, foi introduzida por japoneses), a maçã Fuji, a tangerina poncã e o morango.

 

Considerado um prato típico da culinária de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, o sobá foi introduzido na região por imigrantes japoneses da ilha de Okinawa.

 

É difícil de acreditar, mas é mais fácil encontrar um restaurante que serve comida japonesa do que um que churrascarias em São Paulo. São 600 contra 500. Em tempo: a capital paulista consome em torno de 400 mil sushis por dia.

 

Entre as principais celebrações da comunidade japonesas da cidade de São Paulo, que reúne o maior número de imigrantes, estão a Festa das Cerejeiras, o Tanabata Matsuri (também conhecido como Festival das Estrelas) e o Moti Tsuki Matsuri (celebração de ano novo que ocorre em 31 de dezembro).

 

O primeiro descendente de japonês eleito para um cargo político em São Paulo foi Yukishige Tamura, que em 1948 se tornou vereador pela capital.

 

Descendentes de japoneses famosos: Tizuka Yamazaki (cineasta), Daniele Suzuki (atriz), Hugo Hoyama (atleta de tênis de mesa), Sabrina Sato (apresentadora), Manabu Mabe (artista plástico), Japinha (baterista da banda CPM 22), Carol Nakamura (dançarina e apresentadora), Issao Imamura (ilusionista), Leonardo Sakamoto (jornalista), Luiz Gushiken (político), Fernanda Takai (cantora), Tomie Ohtake (artista plástica), Celso Kamura (cabelereiro de personalidades), Shieko Aoki (empresária) e Bento Hinoto (guitarrista da banda Mamonas Assassinas).

 

O Brasil abriga atualmente uma população de 1,6 milhão de nikkeis (japoneses e seus descendentes). Em contrapartida, existem cerca de 300 mil brasileiros vivendo no Japão.

 

O Dia da Imigração Japonesa é comemorado em 18 de junho, data em que o navio Kasato Maru aportou no Brasil.

 

Fontes: Wikipédia, Sua Pesquisa, Superinteressante, Guia dos Curiosos.

 

Share: