Antes de se tornar famoso, o ator e produtor britânico Charles Chaplin trabalhou como ajudante numa fábrica de vidro, ajudante de barbeiro, balconista, jornaleiro e até empregado doméstico.

 

Na época em que namorava uma garota, fumou maconha e experimentou cocaína. Só que, enjoado, acabou largando tudo, inclusive a namorada. Quanto ao álcool, ele sempre o associava á morte do pai.

 

O fato é que o pai do jovem Chaplin morreu de cirrose hepática. Na época em que a mãe estava internada em um hospital psiquiátrico, ele e o irmão tiveram que morar com o pai, que vivia alcoolizado e desprezava os filhos.

 

Antes de se tornar famoso e se estabelecer nos Estados Unidos, Chaplin dividiu um quarto de pensão com outro britânico bastante famoso: Stan Laurel. Para quem não sabe, Laurel interpretava o personagem Oliver Hardy da dupla O Gordo e o Magro.

 

Além de ator, diretor, roteirista e produtor, Charles Chaplin foi compositor. Foi ele o principal responsável pela trilha sonora dos seus sete últimos filmes.

 

Quando os Estados Unidos entraram na Primeira Guerra Mundial, Charles Chaplin usou sua popularidade para, juntamente com amigos, vender bônus de guerra.

 

Sentindo-se perseguido na época da caça às bruxas promovida por partidários do senador McCarthy, Chaplin deixou os Estados Unidos e foi viver na Europa. Acusado de ser simpatizante do comunismo, ele impôs para si o auto-exílio, fixando residência na Suíça. Chaplin só voltou para os Estados Unidos em 1971, quando recebeu um Oscar pela carreira.

 

Sendo ou não comunista, Chaplin tinha profunda admiração e amizade pelo cineasta soviético Sergei Eisenstein, diretor do clássico O Encouraçado Potenkim.

 

Chaplin tinha nojo de leite e era avesso a materiais feitos com borracha. Quando estava em processo de criação, tomava até 9 banhos por dia e ficava o tempo todo andando de lá para cá.

 

Existem rumores de que Chaplin participou de um concurso de imitadores de Charles Chaplin, abocanhando o honroso… 3º lugar!

 

O corpo de Chaplin foi roubado do cemitério poucos dias depois do sepultamento na Suíça. Os sequestradores pediram resgates, mas a polícia conseguiu prendê-los e recuperar o corpo.

 

Assim que descobriu um asteroide em 1981, a astrônoma soviética Lyudmila Karachkina o batizou de 3623 Chaplin, em homenagem ao grande e inesquecível mito do cinema.

 

Chaplin ficou em 9º lugar no ranking das “Melhores Estrelas de Todos os Tempos” realizado pela revista Entertainment Weekly.

 

Share: