O verdadeiro nome do poeta, compositor e cantor Cazuza era Agenor de Miranda Araújo Neto. Ele era filho de Lucinha Araújo e do produtor musical João Araújo.

 

O apelido Cazuza surgiu em virtude da ascendência nordestina do pai. No Nordeste, cazuza significa moleque.

 

Cazuza nasceu no Rio de Janeiro em 1 958 e faleceu na mesma cidade em 1 990, aos 32 anos.

 

Aos 18 anos, arranjou com a ajuda do pai um emprego na gravadora Som Livre, onde fazia triagem de novos músicos e escrevia releases para divulgá-los. Mas só descobriu mesmo que queria ser cantor meses mais tarde, quando ingressou no curso de teatro de Perfeito Fortuna (o mesmo do Asdrúbal Trouxe o Trombone).

 

A paixão pela música era um pouco mais antiga. Uma vez que o pai era um profissional ligado ao mundo da música, Cazuza conheceu desde cedo nomes da MPB como Gal Costa, Gilberto Gil, Elis Regina e Caetano Veloso. A coleção de discos de João Araújo levaram-no também a conhecer os grandes sucessos de Cartola, Lupicínio Rodrigues, Maysa e outros

 

Cazuza tornou-se vocalista de fato graças à mão amiga do cantor Léo Jaime, que indicou um grupo de rapazes que procuravam um cantor para assumir os vocais: o Barão Vermelho.

 

O Barão Vermelho tocava em bares e teatros do Rio de Janeiro, mas só despontou mesmo depois que divulgou um demo na gravadora Som Livre. Ele imediatamente conseguiu chamar a atenção dos produtores, com exceção João Araújo que tinha receio que achassem que a produção de um disco da banda fosse resultado do seu parentesco com o vocalista. Mas João foi convencido, surgindo daí o primeiro disco de estúdio do Barão Vermelho.

 

O primeiro álbum da banda foi gravado em apenas quatro dias. O segundo levou um pouco mais de tempo: um mês. Mas foi só a partir do terceiro que o grupo estourou como um dos grandes nomes do rock brasileiro.

 

Um dos primeiros grandes sucessos do Barão Vermelho foi a música Bete Balanço, tema do filme de mesmo nome dirigido por Cacá Diegues. A personagem principal do filme foi interpretada pela atriz Débora Bloch.

 

Outro grande sucesso foi Pro Dia Nascer Feliz, música interpretada por Ney Matogrosso em seus shows, em 1 983. Não custa lembrar que Ney e Cazuza viveram um romance tórrido, que só terminou por insegurança do segundo.

 

O Barão Vermelho foi ao lado dos Paralamas do Sucesso, Blitz e Kid Abelha e os Abóboras Selvagens um dos grupos de rock brasileiro que participaram do primeiro Rock in Rio, em 1 985.

 

Cazuza deixou o Barão Vermelho ainda em 1 985, com a justificativa de que “era egoísta demais para dividir o palco com outros músicos”. De fato, os músicos vinham revezando os vocais nessa época.

 

A suspeita de que poderia estar com AIDS surgiram ainda em 1 985, quando Cazuza foi internado com febre alta. Foi durante essa internação que surgiu a inspiração para a balada Codinome Beija-flor, por causa dos beija-flores que vez ou outra surgiam pela janela de seu quarto.

 

Em 1 990, Lucinha Araújo ajudou a fundar a Sociedade Viva Cazuza, uma Organização Não-Governamental que visava ajudar crianças e adolescentes soropositivos de baixa renda. Parte da renda era obtida através dos direitos autorais das canções de Cazuza.

 

Ainda sobre Lucinha Araújo. Ela lançou três livros sobre o cantor, sendo o primeiro Cazuza – Só as Mães São Felizes. Foi esse livro que inspirou os diretores Sandra Werneck e Walter Carvalho no filme Cazuza – O Tempo não Pára, uma filmografia do cantor. O cantor foi interpretado pelo ator Daniel de Oliveira.

 

Fontes: Wikipédia, Época, Super Interessante.

Share: