A disco music, ou “onda disco”, estourou na segunda metade dos anos 1970 graças ao filme Os Embalos de Sábado à Noite e novela Dancin’ Days. Veja nas próximas linhas algumas curiosidades sobre esse modismo e seus principais ídolos, entre os quais ABBA, Bee Gees, Donna Summer e Tina Charles.

 

A “onda disco” ou “disco music” foi um gênero musical dançante surgido na segunda metade dos anos 1970. Recebeu fortes influências das músicas/danças executadas nos clubes negros, latino-americanos e gays da cidade de Nova York daquela época. Entre as suas principais característica está o canto em falsete, além do sucesso de sons eletrônicos e arranjos com orquestras e instrumentos de sopro.

 

Entre os principais ídolos da onda disco, vale lembrar de Village People, Chic, Donna Summer, Bee Gees, KC & Sunshine Band e Boney M.

 

A “disco music” estourou no Brasil com a estreia do filme Os Embalos de Sábado à Noite, com o astro John Travolta no papel principal, e trilha sonora dançante do trio Bee Gees. Colaborou também o sucesso da novela Dancin’Days, que tinha uma discoteca como um dos cenários.

 

A principal casa da “disco” em Nova York, foi a Studio 54, e no Brasil, tivemos a Papagaio Disco Club e a Hippopotamu’s.

 

Uma das mais populares cantoras foi a norte-americana Donna Summer, cujos maiores hits no Brasil foram Love to Love you Baby, I Feel Love e MacArthur Park. Seu nome verdadeiro era LaDonna Adrian Gaines. Ela faleceu em 2012, vítima de câncer.

 

Um dos grupos de maior sucesso foi o Village People, com as músicas YMCA, In the Navy e Macho Man, que teve diversos saídas e entradas de integrantes. O mais conhecido foi Victor Willis, o vocalista.

 

O grupo KC and the Sunshine Band teve Shake, Shake, Shake e That’s the Way (I like it), como principais hits. No início dos anos 80, voltou às paradas com a balada Please, Don’t Go. O “KC” é Harry Wayne Casey, um dos fundadores da banda. Um detalhe: a banca continua fazendo shows, principalmente nos Estados Unidos.

 

Sylvester era o cantor Sylvester James, cujo maior hit foi You Make me Feel (Might Real). Gay assumido, ele costumava usar trajes/acessórios femininos em suas apresentações. Sylvester faleceu em 1988, vítima de complicações decorrentes da AIDS.

 

Os principais sucessos do grupo Chic no Brasil foram Le Freak e Good Time. Foi fundado pelo músico Nile Rodges e Bernard Edwards e, acredite se quiser, continua se apresentando no mundo todo, sobretudo nos Estados Unidos.

 

Ao contrário de muitos músicos da onda disco, que eram norte-americanos, o Boney M surgiu na Europa. Foi fundado por um alemão com músicos oriundos do Caribe. O Boney M conquistou as paradas com várias canções: Ma Baker, Daddy Cool, River of Babylon, Rasputin, Hooray Hooray It’s a Holiday. Único homem na banda, Bobby Farrell morreu repentinamente em 2010. Embora, com outra formação, o Boney M continua se apresentando com seus velhos hits.

 

Também de origem europeia, o ABBA era formado por dois casais. Surgido na Suécia, tinha Benny Anderson, Anni-Frid Lyngstad, Agnetha Fältskog e Bjorn Ulvaeus como integrantes. O ABBA emplacou uma série de hits: Mamma Mia, I Have a Dream, Dancing Queen, Fernando, Knowing me Knowing you e Super Trouper, entre outros. O grupo encerrou as atividades no início dos anos 80.

 

O Bee Gees era formado pelos irmãos Gibb (“Brothers Gibb), britânicos criados na Austrália. O mais velho era Barry, nascido em 1946. O mais novo era Maurice, gêmeo de Robin (a diferença de nascimento entre ambos foi de apenas 35 minutos). O único dos irmãos Gibb que permanece vivo é Barry. Robin faleceu em maio de 2012 e Maurice, em janeiro de 2013 – ou seja, com uma diferença de menos de um ano.

 

Tina Charles (ou Tina Hoskins, seu nome de batismo) é uma cantora britânica com imensa popularidade no Brasil durante a onda disco. Seus principais hits fora Dance, Little Lady, Dance e I Love to Love. Tina continua na ativa, cantando principalmente em casas europeias.

 

Gloria Gaynor (ou Gloria Fowles, seu nome original), fazia sucesso antes e continuou fazendo depois da moda da disco music. Mas ela tornou-se eternamente conhecida em virtude de uma música de enorme sucesso nesse período: I Will Survive (que mais tarde viraria um hino da comunidade LGBT).

 

Entre os principais ídolos brasileiros, vale lembrar da cantora Lady Zu (ou Zuleide Santos Silva), que cerca de 1 milhão de discos com o hit A Noite Vai Chegar. Chamada de Rainha das Discotecas Brasileiras, Lady Zu continua fazendo shows, principalmente no interior do país.

 

Surgida no auge do sucesso das discotecas, o grupo feminino brasileiro As Frenéticas emplacou um hit até hoje associado ao “modismo disco”: Caia na Gandaia. Também conhecida como Dancin’Days, ela foi música de abertura da novela de mesmo nome. Lançada pelo produtor Nelson Motta, o grupo tinha seis integrantes: Sandra Pêra, Regina Chaves, Leiloca, Dhu Moraes, Edy Castro e Lidoka.

 

Outro grupo feminino de destaque nas pistas e vitrolas foi o Harmony Cats. Formado inicialmente por Cidinha, Juanita, Rita, Vivian e Maria Amélia, ele durou até 1986. O Harmony Cats era especializado em cantar “medleys” (vários trechos de músicas numa só música), principalmente do Bee Gees.

 

Outros grupos e cantores que surfaram na popularidade da disco: Baccara (cujo grande hite foi Yes, sir, I Can Booggie), Charo (Dance, a Lit Bit Closer), Santa Esmeralda (Don’t Le Me Be Misunderstood), Dee D. Jackson (Automatic Lover e Meteor Man), Roberta Kelly (Zodiac), Anita Ward (Ring my Bell), The Andrea True Connection (More, More, More), Celi Bee (Macho), Giorgio Moroder (From Here to Eternity) e Patrick Hernandez (Born to be Alive).

 

De autoria de Gilberto Braga, a novela Dancin’Days ajudou a popularizar a moda das discotecas no Brasil. Tinha entre os personagens principais Sônia Braga, Antônio Fagundes, Glória Pires e Joana Fomm. A música-tema era Caia na Gandaia, do grupo As Frenéticas.

 

 

Share: