Como surgiu o muro de Berlim? Quantas pessoas morreram tentando atravessá-lo? E como ocorreu a sua abrupta queda? Confira a seguir alguns números e informações curiosas sobre esse símbolo da Alemanha dividida e Guerra Fria.

 

Com a derrota da Alemanha na Segunda Guerra Mundial, Berlim foi dividida entre os seguintes países: União Soviética, Reino Unido, França e Estados Unidos. O detalhe é que a cidade ficava do lado invadido pelos soviéticos.

 

Berlim Oriental era capitalista e a Oriental, totalmente comunista. A passagem de alemães orientais era bastante comum antes da construção do muro, geralmente atrás de empregos. Mais de um milhão de orientais emigraram para o lado ocidental.

 

A fronteira entre Berlim Ocidental e Oriental começou a ser fechada em agosto de 1961. Do dia para a noite, surgiram diversas barricadas no local onde seria erguido o muro.

O muro tinha 156,4 quilômetros de extensão, dos quais 43,7 quilômetros cortavam a cidade.

 

Não existia apenas um, mas dois muros. Entre um e outro havia diversos sistemas anti-fugas e de vigilância. O primeiro possuía arame farpado no alto e o segundo, uma canaleta para impedir fugas.

 

O muro era vigiado por 186 torres de vigilância e 486 cães de guarda, além de um carro-patrulha que percorria todo o seu trajeto.

 

Como as patrulhas não eram consideradas suficientes, providenciou-se cerca eletrificada, alarme de som, armadilhas contra carros e até armadilhas anti-tanques no local. Uma faixa de areia foi construída para revelar possíveis pegadas de quem tentasse atravessar para o lado ocidental.

 

O Portão de Brandemburgo, onde os alemães comemoram a conquista da Copa do Mundo de 2014, ficava do lado oriental. Não passava de um símbolo arquitetônico da dividida Berlim.

 

Pelo menos 137 pessoas morreram tentando atravessar o muro. O número dos que conseguiram fugir chegou a 5.075.

 

A fuga mais espetacular ocorreu em 1979, quando um grupo de alemães orientais conseguiu passar sobre o muro num balão caseiro.

 

Dizem que o fim do muro ocorreu meio por acaso, quando um jornalista interpretou mal um comunicado do governo da Alemanha Oriental e noticiou uma abertura das fronteiras (lembrando que países como a Hungria também haviam liberado as suas fronteiras com o Ocidente).  Horas depois, milhares de alemães de ambos os lados começaram a forçar a queda da barreira e mudando não só a história da Alemanha, mas de toda a Europa.

 

O muro possuía mais de 200 mil toneladas de concreto e aço. Mais de 40 mil blocos de 1,20 metro foram triturados e transformados em material para reparar a estrada que une Berlim ao mar Báltico.

 

Um funcionário de uma empresa de construção de Berlim comprou um pedaço de 150 metros do muro para triturá-lo e oferecê-lo como souvenir. Os pedacinhos são ainda hoje vendidos com certificado de garantia.

 

Oito meses após a queda, o músico britânico Roger Waters (diga-se, Pink Floyd) realizou à  convite das autoridades da nova Berlim um show chamado The Wall junto ao Portão de Brandemburgo. O evento reuniu um público de 40 mil pessoas e foi transmitido ao vivo para dezenas de países.

 

Ainda existem algumas diferenças entre os cidadãos dos dois lados da antiga fronteira. Tanto que um em cada quatro alemães preferia que o muro fosse reconstruído.

 

Fontes: Wikipédia, UOL, IG, El País, Terra, Galileu.

 

Share: