Descubra nas linhas a seguir algumas informações interessantes e fatos curiosos sobre os astecas, que dominavam o sul do México na época em que os primeiros europeus chegaram à América. Você sabia, por exemplo, que foi na antiga cidade de Tenochtitlán que foi erguida a Cidade do México, uma das maiores metrópoles do mundo?

 

Os astecas eram descendentes de diversos povos, sobretudo dos mexicas, que imigraram de territórios que hoje compreendem o sul dos Estados Unidos e norte do México para a região do Vale do México.

 

O nome asteca foi criado pelos europeus, pois esse povo chamava a si mesmo de mexica ou tenochca.

 

Os astecas falavam a língua nauátl, um idioma pré-colombiano em muitos aspectos parecidos com idiomas de povos indígenas dos Estados Unidos.

 

Os mexicas se estabeleceram numa ilha no lago Texcoco, onde fundaram a cidade de Tenochtitlán, em 1325. Tenochtitlán transformou-se em capital do império asteca e séculos depois, na capital do México – dessa vez como Cidade do México.

 

De acordo com a crendice mexica, Tenochtitlán teria sido fundada nesse local por indicação do deus da guerra e do sol Huitzlopochtli. Quando os primeiros europeus lá chegaram, teria ficado deslumbrados com a limpeza da cidade e com seu tamanho. Ela era maior do que Madrid, na Espanha.

 

Com 15 quilômetros quadrados, Tenochtitlán era entrecortada por uma rede de canais e aquedutos, além de que possuía calçadas artificiais nas suas margens. Suas pirâmides encheram os espanhóis de espanto quando lá chegaram pela primeira vez.

 

Quando morriam, as pessoas eram enterradas embaixo das suas próprias residências. O curioso é que um cão era sempre enterrado com o morto. Os astecas acreditavam que os cães guiavam os mortos para o mundo espiritual.

 

Os astecas desconheciam a roda, o aço e o ferro. Também não usavam animais de cargas. É de se admirar que tenham construído uma cidade gigantesca como Tenochtitlán sem o uso da roda.

 

As meninas casavam com cerca de 10 anos e os homens podiam ter mais de uma esposa. O detalhe curioso é que se antes de casar o homem fosse pego correndo atrás de outra mulher, era atirado vivo ao fogo.

 

As bebidas mais consumidas eram o chocolate frio (feito com água, grãos de milho e pó de cacau) e o puque, produzido a partir da fermentação de uma planta chamada agave.

 

As pessoas vendiam seus filhos ou a si mesmas como escravas para pagar dívidas. O interessante é que elas podiam ter a liberdade de volta se pagassem corretamente suas dívidas.

 

A sociedade asteca era politeísta, ou seja, adorava vários deuses. Essas divindades eram com frequência retratadas com dois rostos, um com aspectos bons e outros com aspectos maus.

 

Entre os principais deuses estavam Huitzilopochtli (deus da guerra, que liderou o povo até Tenochtitlán), Tlaloc (deus da chuva), Chalchihuitlicue (deus das águas e da fertilidade) e Quetzalcoatl (divindade também adorada por maias e astecas).

 

Consta que os deuses astecas exigiam sacrifícios humanos, o que levava os sacerdotes a sacrificaram centenas de pessoas todos os anos. Entre 500 e 700 pessoas eram mortas anualmente para apaziguar esses deuses.

 

A maioria dos sacrificados eram prisioneiros de guerra. Acredita-se que não só os astecas, mas outros povos que habitavam a região costumavam organizar ataques contra seus inimigos somente com o intuito de obter prisioneiros.

 

Crianças também eram sacrificadas, principalmente em períodos de seca. Os astecas acreditavam que suas lágrimas ajudavam a atrair chuva. Cerca de 42 restos mortais de crianças foram encontrados próximo a um antigo templo asteca por arqueólogos, em 1982.

 

Foram os astecas que apresentaram o chocolate aos europeus. Aliás, você sabia que grãos de cacau eram utilizados por esse povo como moeda?

 

Conta-se que o rei Montezuma II teria desconfiado bastante dos primeiros europeus, mas mesmo assim resolveu lhes fazer um agrado. Além de presentes, ofereceu um banquete de carne humana. Os espanhóis estranharam o cheiro, e quando descobriram do que se tratava, vomitaram imediatamente e não aceitaram mais nenhum alimento.

 

O espanhol Hernán Cortéz liderou os espanhóis numa batalha decisiva contra os astecas conhecida dos historiadores como Noite Triste. Os astecas possuíam superioridade numérica, mas os espanhóis tinha cavalos e canhões. Era para os primeiros terem vencido se não fosse por um detalhe: os espanhóis possuíam os tlaxcaltecas, um povo que nunca se submeteu à dominação asteca, como aliados.

 

Acredita-se que vírus e bactérias levadas pelos europeus tenham ajudado a dizimar cerca de 80% da população asteca. Como seus organismos não possuíam sistema imunológico preparado, eles sucumbiram a bactérias como a salmonela.

 

Fontes: Wikipédia, Mundo Educação, Mega Curioso, Aventuras na História.

 

Share: