A Albânia é um país da Europa que faz fronteira com a Grécia, Macedônia e Sérvia. A população viveu durante muito tempo sob um regime comunista fechado. Hoje, com a abertura política e de mercado, ela atrai milhões de turistas para suas praias. Saiba mais a respeito nas linhas a seguir.

 

A Albânia possui 28,7 quilômetros quadrados, tamanho equivalente ao do estado brasileiro de Alagoas.

 

A Albânia tinha em 2016 uma população equivalente a 3 milhões de pessoas.

 

Tirana é a capital e cidade mais populosa. Entre as cidades com maior número de habitantes vale também lembrar de Durrës, Vlorë, Elbasani e Escodra.

 

A língua predominante é o albanês. Mas nenhum turista se sentirá totalmente deslocado, uma vez que a maioria da população é poliglota. No ranking de segunda língua local estão o inglês, o italiano e o grego.

 

O país tinha até o início da década de 1990 um regime de orientação comunista. Ao contrário dos demais países da região, que formavam um bloco político-militar liderado pela União Soviética, os albaneses mantinham relações mais estreitas com a China. Detalhe: era um dos regimes mais fechados do Leste Europeu.

 

Mais da metade da energia elétrica produzida no país é roubada. Muitos albaneses – incluindo os profissionais liberais nessa conta – manipulam os contadores de energias e fazem “gambiarras” para não pagar a energia que chega a seus lares e negócios.

 

Os albaneses dizem “sim” de modo bastante curioso: balançando a cabeça. Veja como nesse vídeo postado no YouTube, que mostra que na Índia na é muito diferente.

 

A maior parte da população é muçulmana. O interessante é que dificilmente se vê nas ruas uma mulher usando vestimentas típicas de países de maioria islâmica. Os albaneses são em vários aspectos mais liberais que os muçulmanos do Oriente Médio e sul da Ásia.

 

Acredite se quiser, mas o número de turistas que entram no país todos os anos é maior do que a população local. Enquanto os albaneses somam 3 milhões de pessoas, os turistas chegam a 4 milhões. O movimento é maior durante o verão, principalmente no litoral.

 

É difícil encontrar um prato tipicamente albanês, uma vez que a culinária local é fortemente influenciada pela Sérvia, Grécia e Itália. O azeite é um ingrediente bastante comum na mesas albanesas.

 

A cidadã albanesa mais famosa é Madre Teresa de Calcutá, ganhadora do prêmio Nobel da Paz de 1979 pelo seus trabalho em benefício dos mais pobres.

 

A águia negra presente na bandeira albanesa (imagem acima) foi inspirada na águia bizantina, um símbolo outrora comum na Europa oriental. Foi também inspirada num brasão usado por rebeldes locais contra o antigo Império Otomano.

 

Os índices de criminalidade são extremamente altos em comparação com o restante do continente europeu. Máfias são responsáveis por crimes como tráfico de pessoas e de drogas. No interior, são muitos comuns os assassinatos por vingança, os chamados “crimes de sangue”.

 

Um hábito comum entre brasileiros e albaneses: assistir novelas. A TV local não só transmite esse tipo de programação como transmite novelas feitas no Brasil. Um dos mais recentes sucessos na TV local foi Avenida Brasil.

 

Fontes: Wikipédia, UOL Vírgula.

 

Share: