Localizada na fronteira entre Brasil, Venezuela e Suriname, a Guiana é um dos menores e menos populosos países da América do Sul. Sua população forma um imenso caleidoscópio étnico e cultural. Descubra nos tópicos a seguir algumas curiosidades e fatos desconhecidos sobre esse país.

 

O nome Guiana significa em língua indígena “terra das muitas águas”, talvez em virtude da imensa quantidade de rios que existem em seu território.

 

A Guiana era chamada de Guiana Inglesa até 1966, quando conquistou a independência do Reino Unido.

 

Com apenas 750 mil habitantes, a Guiana é o país menos populoso da América do Sul. Em comparação, o vizinho Brasil possui 205 milhões de pessoas.

 

A imensa maioria da população vive na faixa litorânea (ao norte do país), que possui, no máximo, 70 quilômetros de largura. É onde fica Georgetown, a capital do país.

 

A população da Guiana é heterogênea, formada por descendentes de europeus, africanos, indígenas, indianos e outros grupos.

 

Com cerca de 300 mil habitantes (quase metade da população guianense), Georgetown é a cidade mais populosa do país. Um detalhe interessante: mais da metade possui origem indiana.

 

A língua oficial da Guiana é o inglês. Trata-se de um dos raros lugares da América do Sul onde a língua é falada.

 

Uma dos detalhes que mais chamam a atenção na geografia da Guiana é o planalto central, formado por uma serra que ocupa também os territórios da Venezuela e Brasil. É lá que se localiza o conhecido Monte Roraima, com 1.000 metros de altura.

 

Cerca de 70% do território da Guiana é coberto pela floresta amazônica.

 

A economia é quase que totalmente baseada no setor primário. Os principais produtos agrícolas são a cana-de-açúcar, a mandioca e o arroz. A Guiana possui ainda grandes reservas de bauxita, um dos seus principais produtos de exportação.

 

Cantores indianos e filmes de Bollywood fazem um sucesso tremendo na Guiana. Isso se deve principalmente em virtude do grande número de famílias de origem indiana que vivem no país.

 

Por ser um país multicultural, existem templos das mais variadas religiões em Georgetown. Há, no entanto, um grande número de mesquitas e templos hindus. Os cristãos são em sua maioria católicos.

 

A cultura da Guiana possui forte influência caribenha, principalmente na música. A população adora o calipso, um estilo de música presente até mesmo no carnaval local.

 

Outra curiosidade interessante: a Guiana é ao lado do Suriname, um dos raros países da América do Sul a adotar o sentido de circulação de veículos pela esquerda.

 

A Guiana é o único país da América do Sul onde a homossexualidade é expressamente proibida por lei.

 

Ao contrário dos vizinhos venezuelanos, que adoram beisebol, e dos brasileiros, que curtem bastante futebol, os guianenses preferem o críquete.

 

A Guiana foi no final dos anos 1970, palco do maior suicídio em massa dos últimos tempos. Ele ocorreu na cidade de Jonestown, quando centenas de seguidores do pastor norte-americano Jim Jones se suicidaram ingerindo cianeto. Os que se recusaram a beber o veneno foram assassinados.

 

Share: