Situada na fronteira com o Mali, Serra Leoa, Guiné-Bissau, Senegal e Libéria, a República da Guiné é uma dos países mais jovens do mundo. É também um dos mais pobres, com um imenso contingente de subnutridos. Veja nas linhas a seguir algumas curiosidades sobre esse pequeno país da África.

 

Como conseguiu se separar da França somente em 1958, a Guiné um país relativamente jovem.

 

Sua capital e segunda cidade mais populosa é Conacri. Um detalhe interessante: a Guiné é também chamada de Guiné Conacri para se diferenciar da vizinha Guiné-Bissau.

 

As cidades mais populosas são Camayenne, Conacri e Nzérékoré.

 

Apesar de existirem diversas línguas locais, o idioma oficial da Guiné é o francês.

 

Com pouco mais de 10 milhões de habitantes, a Guiné é menos populosa do que a cidade brasileira de São Paulo.

 

A população da Guiné é majoritariamente islâmica (86%), que convive com um grande número de cristãos (10%) e seguidores de outras religiões (4%).

 

A economia da Guiné é em grande parte movida pela exportação de commodities, principalmente minérios. Um mais exportados é a bauxita, principalmente porque a Guiné possui 1/3 de toda a reserva do mundo.

 

Apesar de solo rico, a Guiné um dos países mais pobres do mundo. A maioria da população vive com menos de 1 dólar por dia.

 

Cerca de 17% da população é subnutrida e a expectativa de vida, extremamente baixa em comparação com os países do Primeiro Mundo: 55 anos.

 

A maior parte da população – ou seja, em torno de 65% – vive na área rural.

 

A Guiné é um país de clima quente, com o detalhe de que o litoral é mais úmido e o interior, mais seco.

 

O país foi atingido por um surto do vírus ebola em 2014, com 2.400 mortes. O surto também atingiu países vizinhos como Libéria, Serra Leoa e Nigéria.

 

Fontes: Wikipédia, Brasil Escola, BBC Brasil.

Share: