Localizado no ponto mais ocidental do continente africano, o Senegal foi batizado com esse nome em virtude do rio Senegal. Sua capital é a cidade de Dakar. Veja a seguir algumas informações desconhecidas, curiosas e interessantes sobre esse país.

 

O Senegal é formado por uma grande variedade de grupos étnicos: wolof, fulani, jola, mandingo… O grupo predominante é o wolof, que representa 43% da população.

 

Existe também uma imensa quantidade de línguas étnicas nesse país, entre as quais o wolof, o fulani e o serer. A língua oficial, no entanto, é o francês.

 

Uma curiosidade muito interessante: existe um grande número de falantes de português e línguas oriundas. Os falantes dessas línguas de origem portuguesa estão concentrados sobretudo na região de Casamanse, no sul do país.

 

Entre as cidades mais populosas estão Dakar, Pikini, Thiés Nones e Saint-Louis. A região metropolitana de Dakar, a capital, concentra mais de 10% dos senegaleses.

 

A cidade de Dakar foi fundada em 1857 por colonizadores franceses. Devemos lembrar que Senegal e seus vizinhos Mauritânia, Chade, Guiné e Burkina Faso foram durante um bom tempo colônias da França.

 

Gâmbia é um país cercado pelo oceano Atlântico e pelo Senegal. Se um senegalês quiser viajar em linha reta do sul ao norte do seu próprio país, ou vice-versa, teria que atravessar Gâmbia.

 

Senegal e Gâmbia chegaram a formar uma única unidade federativa, a Senegâmbia, desfeita em 1989 em virtude de divergências entre as lideranças dos dois países.

 

A religião predominante é o islamismo, seguida por 87% da população.

 

Os principais rios são o Senegal, o Gâmbia e o Casamanse.

 

Já o clima é semi-árido, com temperaturas que nos meses mais quentes podem ultrapassar os 40º Celsius.

 

Um dos lugares mais curiosos do Senegal é o lago Retba, talvez o único no mundo cujas águas são cor-de-rosa. A coloração torna-se mais visível nos meses mais secos. Ela é resultado dos alto níveis de sal na água, que em alguns locais pode chegar a 40%. Assim como no Mar Morto, as pessoas que nele mergulham não afundam.

 

O país foi durante muito tempo ponto de chegada do rali Paris-Dakar, uma das mais conhecidas disputadas dessa modalidade. As ameaças constantes de fundamentalistas islâmicos acabaram contribuindo para que a disputa fosse transferida para a América do Sul, onde é atualmente chamada apenas de Rali Dakar.

 

O Senegal foi a única colônia da França a ter seus cidadãos reconhecidos como cidadãos franceses. A independência total só foi consolidada na década de 1960.

 

Assim como em muitos países africanos (e islâmicos, uma vez que a maioria da população segue essa religião), a poligamia é uma prática comum. Os homens podem ter duas, três ou mais esposas.

 

Músicas cantadas em português (ou numa mistura de português com outra língua) são até comum por lá. Boa parte é oriunda de Cabo Verde, uma antiga colônia portuguesa na costa Africana.

 

Um dos principais destinos turísticos de Dakar é a ilha de Gorée, um antigo “entreposto” de comercialização de escravos, por onde, acredita-se, tenham passado milhões de escravos em direção ao continente americano.

 

A música senegalesa é conhecida no mundo todo, principalmente na Europa. Entre os músicos locais que conquistaram fama mundial estão Youssou N’Dour e Akon.

 

Fontes: Wikipédia, Brasil Escola, Extra.

Share: