Garrincha foi um dos maiores jogadores da história do futebol brasileiro. Jogou diversas vezes pela seleção e foi essencial na conquista mundial de 1958. Descubra algumas curiosidades e números impressionantes sobre a carreira desse inesquecível e talentoso artista da bola.

 

Manuel dos Santos, o Garrincha, nasceu no distrito de Pau Grande, na cidade fluminense de Magé, em 1933.

 

Garrincha nasceu numa família de 15 irmãos.

 

O que mais chamava a atenção nele eram sua pernas tortas, que também tinha uma diferença de 6 centímetros.

 

O apelido Garrincha foi dado por uma das irmãs. Aliás, garrincha é um tipo de pássaro muito comum na região onde ele nasceu.

 

O nome verdadeiro de Garrincha era Manoel dos Santos. Mas no auge da carreira, ele começou a assinar Manoel Francisco dos Santos, em homenagem a um tio que muito o ajudou.

 

O primeiro time em que jogou foi o Esporte Clube Pau Grande, em Magé. Ele sequer tinha começado a atuar com a bola e foi convidado por um olheiro do Botafogo, que o convidou para fazer um teste no time.

 

Acredite se quiser, mas dizem que Garrincha impressionou os dirigentes e jogadores do Botafogo já no primeiro teste. Isso porque ele teria driblado Nilton Santos, um jogador já consagrado no time.

 

Garrincha casou duas vezes e teve 14 filhos, sendo oito mulheres no primeiro casamento. No segundo, teve apenas um menino. Teve também um casal com uma namorada. O 14º filho do jogador é Ulf Lindberg, fruto de um relacionamento extraconjugal ocorrido durante uma passagem do Botafogo pela Suécia.

 

Disputou três Copas do Mundo (1958, 1962 e 1966). Fez cinco gols pela seleção brasileira durante a competição.

 

Ao todo, Garrincha disputou 60 partidas com a camisa amarela, perdendo apenas uma (foram 3 a 0 para a Hungria).

 

Em toda a sua carreira, foi expulso de campo apenas uma vez. Foi numa partida da seleção contra o Chile, quando responde a uma cusparada e um tapa dado por um jogador da equipe adversária.

 

Jogou diversas vezes em dupla com Pelé. A última ocasião em que ambos atuaram juntos em campo foi na Copa do Mundo de 1966, contra a Bulgária. O Brasil ganhou de 2 a 0, sendo um gol de Garrincha e outro de Pelé.

 

Dos 40 jogos que Pelé e Garrincha disputaram pela seleção, apenas três terminaram em 0 a 0. Detalhe: a dupla nunca perdeu uma partida.

 

Garrincha faleceu em 1983, aos 49 anos de idade, vítima de complicações provocadas pelo alcoolismo. Quem pagou pelo seu enterro foi o cantor Agnaldo Timóteo.

 

Em sua homenagem, o Estádio Nacional de Brasília recebeu o nome de Mané Garrincha.

 

Fonte: Wikipédia, Globo Esporte, Guia do Curiosos, ESPN Brasil.

 

Share: