O músico Caetano Veloso se tornou nacionalmente conhecido na segunda metade dos anos 1960, quando lançou a música Alegria a Alegria num dos maiores festivais da canção da época. Desde então, nunca deixou de fazer shows pelo Brasil. Conheça curiosidades e fatos inusitados sobre sua carreira nas linhas abaixo.

 

O nome completo do compositor e cantor baiano Caetano Veloso é Caetano Emanuel Viana Teles Velloso.

 

Caetano nasceu na cidade de Santo Amaro – também chamada de Santo Amaro da Purificaço –, no Recôncavo Baiano, região metropolitana de Salvador.

 

Foi Caetano quem escolheu o nome da irmã, Maria Bethânia, inspirado na música Maria Betânia (composição de Capiba), interpretada na época pelo cantor Nelson Gonçalves.

 

Caetano gravou a primeira música aos 10 anos de idade, uma interpretação de Feitiço da Vila, composição de Noel Rosa e Vadico. Detalhe: ele foi acompanhado no violão pela irmã Nicinha.

 

José Teles Velloso e Claudionor Viana Teles Velloso, mais conhecida como dona Canô, os pais de Caetano e Bethânia, tiveram oito filhos, sendo dois de criação.

 

Acredite se quiser, mas dona Canô morreu aos 105 anos de idade. Suas histórias de vida foram contadas numa biografia chamada Canô Veloso, Lembranças do Saber Viver, de Arthur Gonçalves da Silva e Antônio Guerreiro de Freitas.

 

Quando era adolescente, gostava de freqüentar o auditório da Rádio Nacional, onde se apresentavam os grandes ídolos da música brasileira da época. Foi durante uma temporada passada no Rio de Janeiro.

 

Aos 19 anos, escreveu para a coluna de cinema do jornal Diário de Notícias, onde também trabalhava ninguém menos que o cineasta Glauber Rocha.

 

É também no final da adolescência que começa a se apresentar em bares de Salvador ao lado da irmã Maria Bethânia. Foi nessa ocasião que conheceu o trabalho do músico Gilberto Passos Gil Moreira, ou Gilberto Gil.

 

Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Maria Bethânia e Tom Zé inauguraram o Teatro Vila Velha, em Salvador, com o show Nós, Por Exemplo.

 

Enquanto Gilberto Gil estudava administração de empresas, chegando mais tarde a trabalhar na companhia Gessy Lever, em São Paulo, Caetano estudava filosofia. Caetano, no entanto, abandonou a faculdade dois anos depois para se dedicar por completo à carreira artística.

 

O primeiro compacto simples de Caetano foi lançado em 1965, com as músicas Samba em Paz e Cavaleiro (os compactos eram discos de vinil em formato pouco um pouco maior que um Cd, com uma música de cada lado). Dividido com Gal Costa, seu Lp de estreia é lançado em 1967 com o nome Domingo.

 

Chamado apenas Caetano Veloso, seu primeiro Lp individual é lançado em 1968. No mesmo ano, lança em parceria com outros músicos o álbum Tropicália ou Panis et Circensis, um marco do movimento tropicalista e da música de vanguarda dos anos 60. Panis et Circensis é considerado pela crítica um dos melhores álbuns de música brasileira de todos os tempos.

 

A essa altura, ele já era um músico consagrado em virtude do sucesso da música Alegria, Alegria, com a qual concorreu no Festival da Música Brasileira da TV Record no ano anterior. Os festivais da canção da Record, Rede Globo e TV Excelsior tiveram altos índices de popularidade entre os anos 60 e 70. Ajudaram a alavancar a carreira de artistas como MPB4, Chico Buarque, Nara Leão, Gilberto Gil, Os Mutantes, Caetano Veloso, Edu Lobo e outros.

 

Devido ao endurecimento do regime militar, Caetano é forçado a sair do Brasil. Exila-se em Londres, no Reino Unido, onde lança um álbum com músicas cantadas em inglês. Uma dessas canções é London London, que faria grande sucesso nos anos 80 com o grupo RPM.

 

Uma curiosidade interessante: durante uma passagem pelo Brasil, Caetano foi seqüestrado por militares, que pediram uma música sobre a nascente rodovia Transamazônica.

 

Em solidariedade a Caetano Veloso durante o exílio, Roberto Carlos e Erasmo Carlos fizeram uma composição chamada Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos, em 1971. Ela se tornou um dos maiores hits da carreira de Roberto.

 

Em 1976, forma um grupo com Gilberto Gil, Gal Costa e Maria Bethânia com o nome Doces Bárbaros.

 

Alegria, Alegria volta a fazer sucesso nos anos 70 graças à novela Sem Lenço Sem Documento, da Rede Globo. Por sinal, as músicas de Caetano estiveram em diversas produções da Globo: O Homem Proibido, Tieta, Belíssima, Velho Chico…

 

Ao longo da carreira, Caetano fez parcerias com músicos dos mais variados estilos: Gilberto Gil, Maria Bethânia, Gal Costa, Tom Zé, Chico Buarque, MPB4, João Gilberto (de quem sempre foi um grande admirador), Rita Lee, Os Mutantes, Jorge Ben, Peninha, Elba Ramalho, Djavan, João Bosco, Ney Matogrosso, Roberto Carlos…

 

Uma das mais conhecidas parcerias ocorreu com Chico Buarque durante os anos 1980. Foi num programa da Rede Globo intitulado justamente Chico e Caetano. Por sinal…

 

Caetano já comandou três programas de TV: Divino Maravilhoso (exibido na antiga TV Tupi), Conexão Internacional (antiga TV Manchete) e Chico e Caetano (Rede Globo).

 

Caetano foi vítima de um atentado enquanto curtia férias com a família em Salvador. Bombas e tiros foram disparados contra a sua casa. Felizmente, ninguém se feriu. Coincidência ou não, Caetano tinha feito duras críticas ao então prefeito soteropolitano Fernando José na época.

 

Em 1993, lança em parceria com Gilberto Gil o álbum Tropicália 2, em homenagem aos 25 anos do movimento. Os maiores hits desse álbum foram Haiti e Desde Que o Sambá É Samba.

 

Caetano foi homenageado pela revista Vogue com uma edição totalmente dedicada a ele. A Rolling Stone o escolheu como o quarto maior artista da história da música brasileira.

 

Um dos personagens mais marcantes do falecido humorista cearense Chico Anysio foi Baiano, um músico com os trejeitos, a cara e os cabelos do Caetano daquela época (anos 1970). Ele costumava se apresentar ao lado de Paulinho Boca de Profeta no grupo chamado Baianos e Novos Caetanos. O grupo era uma sátira aos Novos Baianos e à Tropicália. E tamanho foi o seu sucesso que ele chegou a lançar dois álbuns.

 

Fontes: Wikipédia, Guia dos Curiosos, Caetano Veloso.com.

 

Share: