O Pará é um estado com uma riqueza natural inestimável. É também a terra do carimbó, do açaí, do pato no tucupi e do Círio de Nazaré. Explore os tópicos abaixo e descubra algumas curiosidades sobre o Pará e sua surpreendente capital: a cidade Belém.

 

O nome Pará originou-se do tupi, pa´ra, que significa mar, designação do braço direito do Amazonas que, de tão largo, parecia realmente um mar.

 

Com uma área de 1.247.689 quilômetros quadrados, o Pará é o segundo maior estado brasileiro, atrás apenas do Amazonas.

 

Se fosse um país, o Pará seria o vigésimo maior país do mundo. Caberia com folga em sua área países como Tailândia, Camboja, Vietnã e Laos somados.

 

O Pará é o estado mais populoso da região Norte, com mais de 7 milhões de habitantes. O detalhe é que 2,1 milhões vivem na região metropolitana de Belém.

 

As maiores cidades paraenses são Belém, Ananindeua, Santarém, Marabá e Castanhal.

 

Altamira pode não estar entre os mais populosos do Pará, mas é certamente o maior município da América Latina e o terceiro do mundo.

 

Os principais rios do Pará são o Amazonas, o Tocantins, o Xingu, o Tapajós, o Jari e o Pará.

 

Grande parte do território paraense é plano, com alturas médias inferiores a 200 metros.

 

O clima paraense é equatorial, com chuvas abundantes e temperaturas médias anuais entre 24º e 26º Celsius. No auge do calor, a temperatura pode ultrapassar os 40º Celsius em Belém.

 

No Pará, assim como em toda a região Norte, só existem duas estações: o verão e o inverno. No verão, as chuvas se tornam escassas e no inverno, abundantes. Quando um paraense ou qualquer outro habitante do Norte disser que é inverno em sua cidade, está insinuando que é a época das chuvas.

 

A maior parte da população é constituída de mestiços, índios e europeus.

 

O Pará possui a terceira maior colônia de descendentes de japoneses do Brasil. As duas primeiras estão em São Paulo e Paraná.

 

O maior evento do estado é o Círio de Nazaré, que reúne mais de 1 milhão de pessoas nas ruas de Belém.

 

Nem todos os brasileiros sabem, mas Belém possui praias com ondas e surfistas. São praias de água doce, como muitas no Norte do país.

 

A maior ilha-fluvial marítima do mundo é a ilha de Marajó, no litoral paraense.

 

Uma peculiaridade que logo chama a atenção dos turistas na ilha de Marajó é o rebanho de búfalos. A ilha possui a maior quantidade de cabeças de búfalo do Brasil: 600 mil. O leite e o queijo de búfala são muito apreciados na região.

 

Foi realizado recentemente um plebiscito com vistas a obter a aprovação popular para o projeto de divisão do Pará em três estados: Carajás, Tapajós e Pará. A maioria dos paraenses votou contra o projeto.

 

Um dos principais produtos de exportação de toda a Amazônia, inclusive do Pará, é a castanha do Pará. Natural da floresta amazônica, a castanheira-do-pará é uma árvore com até 50 metros de altura e com expectativa de vida acima dos 500 anos. Sua castanha é usada como alimento e como ingrediente da indústria de cosméticos.

 

Um dos alimentos mais importantes da dieta dos povos da região Norte é o açaí. Largamente consumido em cidades como Belém, o açaí é o fruto de uma palmeira chamada açaizeiro. É consumido na forma de sucos, geleias e sorvetes, mas também na forma de pasta acompanhada de farinha de mandioca.

 

O Pará é um dos estados brasileiros com maior diversidade de frutas típicas. Além do açaí, os paraenses consumem frutas como o camu-camu, a pupunha, o tucumã, o bacuri e o anajá, além de outras.

 

Chamada de feijoada paraense, a maniçoba é um prato preparado com a maniva, a folha de mandioca moída e cozida por pelo menos uma semana para a extração do veneno (acido cianídrico). Além da maniva, a maniçoba leva alho, louro, linguiça paio, carne bovina e carne suína nos ingredientes.

 

Outro prato típico da culinária amazônica (e do Pará) é o pato no tucupi. É preparado com a carne de pato acompanhada de um molho de cor amarelada extraído da mandioca brava e com o jambu, uma erva típica da região Norte.

 

Um dos 50 melhores restaurantes da América Latina é o Remanso do Bosque, em Belém. Fundado em 2011, o restaurante faz sucesso com um cardápio baseado em ingredientes típicos da Amazônia.

 

A principal dança típica do estado do Pará é o carimbó. Outras danças típicas são a marujada, o marimberé, o lundu marajoara e a dança do siriá.

 

Além de praias de água doce, Belém oferece inúmeras atrações turísticas como o museu e parque Emílio Goeldi, o mercado Ver-o-Peso, a estação das Docas, o Theatro da Paz, o parque Mangal das Garças e a catedral de Belém.

 

 

Share: