Bandeira do Mercosul

O Mercosul é uma espécie de união aduaneira, ou seja, uma área de livre comércio com uma tarifa externa comum. É formado pelo Brasil e outros vizinhos da América do Sul. Descubra o que é, como funciona e veja algumas curiosidades a respeito nas linhas a seguir.

 

Até meados de 2015, o Mercosul era formado por cinco países: Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela. Em junho desse mesmo ano, foi ratificada a entrada da Bolívia no bloco.

 

Os membros-fundadores do Mercosul foram o Brasil, a Argentina, o Paraguai e o Uruguai. O bloco começou a tomar forma em 1990, quando Brasil e Argentina assinaram a Ata de Buenos Aires, que visava formar um mercado comum/zona de livre comércio até 1994. Paraguai e Uruguai demonstraram interesse em participar do bloco nesse mesmo ano.

 

Na prática, o bloco surgiu com a assinatura do Tratado de Assunção, em 1991. Com ele, os países membros se comprometiam a formar uma zona de livre comércio batizada de Mercado Comum do Sul/Mercosul.

 

Uma das inspirações para a criação do Mercosul foi a Comunidade Econômica Europeia, surgida em 1957. A CEE era inicialmente formada por seis países: Alemanha, Bélgica, França, Itália, Luxemburgo e Holanda. Ela deu origem à União Europeia, que hoje integra cerca de 30 países.

 

O Mercosul busca garantir a livre circulação de bens e serviços entre os países-membros. As barreiras alfandegárias são eliminadas, como se determinados produtos estivessem sendo vendidos de uma cidade para outra. Com ele, o bloco institui também uma tarifa comum para a circulação de bens e serviços com outros blocos (Nafta, União Europeia, CEI etc.).

 

O Mercosul visa também a cooperação entre pesquisas científicas e o reconhecimento de diplomas dos países-membros, integrando o sistema educacional. Na prática, um médico brasileiro pode exercer a sua atividade na Argentina, Uruguai e demais países do Mercosul.

 

Outro detalhe sobre o Mercosul: os documentos de um argentino podem valer no Brasil e nos outros países do bloco. Brasileiros também podem residir na Argentina, no Uruguai, no Paraguai e na Venezuela sem maiores problemas, e vice-versa.

 

Além dos países-membros, o Mercosul possui diversos Estados associados: Chile, Colômbia, Equador, Peru, Guiana e Suriname.

 

O Mercosul possuía até 2015, tratados de livre-comércio com dois países do Oriente Médio: Israel e Egito.

 

Estão sendo feitas negociações para que num futuro próximo seja assinado um acordo de livre-comércio entre o Mercosul e a União Europeia. O problema é que as negociações para a sua assinatura se arrastam há mais de 10 anos.

 

As línguas oficiais do Mercosul são o espanhol, o português e o guarani. A mais falada é o português (por enquanto!), visto que o Brasil é o país mais populoso. O guarani possui um vasto número de falantes no Paraguai.

 

Os maiores e mais populosos países do bloco são o Brasil e a Argentina. O menor e menos populoso é o Uruguai.

 

Mais nova integrante do Mercosul, a Bolívia há muito integra outro mercado comum: a Comunidade Andina. Ela é formada por países da Cordilheiras dos Andes como Peru, Equador e Colômbia, além da própria Bolívia.

 

A bandeira do Mercosul é formada pela constelação Cruzeiro do Sul, com o nome do bloco embaixo. Detalhe: enquanto no Brasil o nome está em português, nos demais países ele aparece em espanhol.

 

A partir do final de 2018 estará valendo um modelo único de placa de automóvel para todos os países do bloco. O novo modelo identificará o país de origem e terá duas letras seguidas de três números e duas letras. Isso possibilitará mais de 450 milhões de combinações de placas.

 

Fontes: Wikipédia, InfoEscola, Decolar.com, G1.

 

Share: