O Afeganistão é um país da Ásia Central que faz fronteira com o Turcomenistão, Paquistão e Irã. Sua capital é a cidade de Cabul, e a maioria da população segue a vertente sunita do islamismo. Saiba mais sobre a história do Afeganistão e conheça algumas curiosidades sobre esse país.

 

A palavra Afeganistão significa “Terra dos afegãos”. Historicamente, afegão se refere ao grupo pashtun, do qual faz parte a maior parte da população do país.

 

O nome oficial do país é República Islâmica do Afeganistão e sua capital, a cidade de Cabul.

 

As cidades mais populosas são, pela ordem: Cabul, Kandaar, Herat, Mazar-i-Sharif e Jalalabad.

 

Entre os diferentes grupos étnicos que compõem a população afegã estão os pashtuns – que representam mais de 52% dos afegãos –, os hazaras, os tadjiques e os uzbeques.

 

Embora sejam falados vários idiomas no país, apenas o dari e o pashtun são considerados línguas oficiais. Um detalhe: ambas são línguas indo-europeias, possuem um parentesco maior com as línguas faladas na Europa do que com o árabe, por exemplo.

 

Mais de 99% da população é muçulmana, em sua maioria do ramo sunita.

 

O território do Afeganistão foi ao longo do tempo invadido por macedônios, persas, árabes, mongóis, britânicos, soviéticos e norte-americanos. A última invasão ocorreu em 2001.

 

Para apoiar o regime socialista que tomou o poder no país em 1978, tropas soviéticas invadiram o Afeganistão. Com o apoio dos Estados Unidos, guerrilheiros muçulmanos – chamados por lá de mujahedin – enfrentaram os invasores durante quase uma década. O conflito terminou com a saída das tropas soviéticas, mas deixou um país extremamente instável. Detalhe: mais de um milhão de pessoas morreram nesse conflito.

 

Com a saída dos soviéticos, os afegãos finalmente tiveram paz, certo? Errado. Iniciou-se uma guerra civil sangrenta, que terminou com a tomada do poder por um grupo fundamentalista religioso chamado Taleban. Por apoiar a rede terrorista Al Qaeda, a quem cedeu campos de treinamento em solo afegão, os talebans acabaram contribuindo indiretamente para os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos.

 

A derrubada das torres do World Trade Center e o atentado contra o Pentágono em setembro de 2001, levaram os Estados Unidos a formar uma aliança com a Grã-Bretanha e outros países para invadir o Afeganistão. O Taleban foi derrubado, mas continua agindo até hoje no interior do país, onde controla algumas áreas.

 

O Afeganistão é o maior produtor de ópio do mundo. Quase toda a heroína consumida na Europa possui origem afegã.

 

O Afeganistão é atualmente o país com maior taxa de mortalidade do mundo. É também um país com uma das mais baixas expectativas de vida: 43,3 anos.

 

Outro dado estarrecedor sobre o país: o Afeganistão é ao lado do Sudão do Sul e do Mali um dos país com maior número de analfabetos de todo o planeta: 72%.

 

A alfabetização de mulheres é um dos principais problemas da educação no país. Muitos pais não permitem que suas filhas sejam alfabetizadas por homens e escolas para meninas são atacadas por fundamentalistas religiosos. Isso faz com que apenas 10% das meninas frequentem as salas de aula.

 

Nem tanto em Cabul, mas nas cidades menores e em regiões controladas pelos fundamentalistas religiosos do Taleban, as mulheres não podem andar nas ruas sozinhas. Elas têm que sair acompanhadas por um homem da família.

 

Entre 60% e 80% dos casamentos são arranjados e cerca de 57% das mulheres casam-se antes dos 16 anos.

 

Assim como os paquistaneses, sauditas, egípcios e outros povos, os afegãos não apreciam cumprimentos com a mão esquerda. Ela é vista por muitas populações do Oriente Médio e Ásia como impura.

 

Praticado em países como Paquistão e Afeganistão, o buzkhashi é um esporte que consiste em agarrar a carcaça de uma cabra e arremessá-la através de uma linha do outro lado do campo ou dentro de um círculo. Para isso, o praticante – que deve estar montado em um cavalo –, precisa driblar os adversários ou afastar as suas montarias com chicotadas ou golpes com tacos.

 

A poesia é uma parte importante da cultura afegã. Tanto é que na cidade de Herat as pessoas costumam reservar as noites de quinta-feira para recitar versos de poetas antigos ou recentes do país.

 

Esqueça a pintura europeia. As primeiras pinturas a óleo de que se tem notícias foram feitas nas cavernas de Bamyian, no Afeganistão, por volta do ano 650 antes de Cristo.

 

O ano novo é celebrado em 21 de março e chamado pelos afegãos de Nawroz.

 

Fontes: Wikipédia, Terra, G1.

 

Share: