Você sabia que o líder negro norte-americano Martin Luther King foi uma criança com inteligência acima da média? Sabia que ele chegou a prever o seu próprio assassinato? Percorra os tópicos a seguir e descubra as curiosidades que nós selecionamos sobre Martin Luther King.

 

Cidade onde nasceu Martin Luther King, Atlanta é a capital e principal centro econômico e financeiro do estado norte-americano da Geórgia.

 

Local do assassinato de Luther King, Memphis é a principal cidade do estado do Tennessee. É conhecida por ser um dos maiores centros da música country norte-americana.

 

Seu nome legal ao nascer era Michael. Só mais tarde seu pai alterou o nome para Martin.

 

Martin Luther King nasceu em 15 de janeiro de 1929 e morreu em 4 de abril de 1968.

 

Com inteligência acima da média, Luther King ingressou na universidade com apenas 15 anos de idade.

 

Martin Luther King foi um dos principais líderes do movimento dos Direitos Civis dos negros nos Estados Unidos, que visava a igualdade racial e o fim do preconceito contra a comunidade afro-americana. O principal evento associado ao movimento foi a Marcha Sobre Washington, quando mais 250 mil pessoas se reuniram durante um protesto na capital norte-americana. Foi nessa ocasião que King proferiu o seu famoso discurso I Have a Dream.

 

A frase I Have a Dream só foi dita no décimo-nono parágrafo do discurso.

 

O idealizador da Marcha Sobre Washington não foi Martin Luther King, mas o sindicalista negro A. Philip Randolph. Detalhe: ele tentava organizar esse protesto desde 1941.

 

Entre as personalidade presentes na Marcha Sobre Washington estavam Bob Dylan, Joan Baez, Charlton Heston, Sidney Poitier, Marlon Brando, James Baldwin, Josephine Baker, Harry Belafonte etc.

 

Cidades como Nova York decretaram feriado para que a população pudesse participar da Marcha Sobre Washington. Por influência do presidente John Kennedy, a marcha foi realizada numa quarta-feira.

 

Dizem que ao saber do assassinato do presidente John Kennedy, em 1963, King teria dito a um amigo: “É o que vai acontecer comigo. Esta sociedade está doente”. Foi uma espécie de pressentimento que acabou por se tornar realidade.

 

A luta contra a segregação racial rendeu a Luther King o prêmio Nobel da paz de 1964.

 

Nem todos sabem, mas Luther King sofria de depressão crônica. O curioso é que vendo nele um perigo, o FBI chegou a armar um plano para incentivá-lo a cometer suicídio.

 

Apontado pelo FBI como responsável pelo assassinato do líder negro, o traficante James Earl Ray confessou publicamente ser o autor do crime. Ele, no entanto, voltou atrás e passou o resto dos seus dias alegando inocência.

 

Uma das últimas pessoas a falar com o King foi o músico Ben Branch. O líder negro teria dito a ele, que se apresentaria num show na noite daquele dia: “Garanta que você vai tocar ‘Take my hand, precious lord’ esta noite. Toque de forma linda”. Acredita-se que tenham sido as suas últimas palavras.

 

Oficializado pelo ex-presidente Ronald Reagan, o Dia de Martin Luther King é celebrado na terceira segunda-feira do mês de janeiro. É um feriado dedicado à memória de King e à luta da população de origem africana contra a segregação racial.

 

Existem mais de 700 logradouros com o nome de Martin Luther King somente nos Estados Unidos.

 

O hotel onde King foi assassinado, em Memphis, foi transformado em memorial e museu. Ele é visitado por milhares de pessoas todos os anos.

 

(Veja também 40 coisas que todos deviam saber sobre o preconceito e a intolerância)

 

Fontes, Wikipédia, Aventuras na História, UOL.

 

Share: