Considerado um dos maiores comunicadores da TV brasileira, o apresentador Chacrinha fez história com seus programas Buzina do Chacrinha e Cassino do Chacrinha. Mas qual o seu nome verdadeiro? E como começou a ser chamado de Chacrinha? Veja as respostas e descubra algumas curiosidades sobre ele nas próximas linhas.

 

O nome verdadeiro do radialista e apresentador de programas de auditório Chacrinha era José Abelardo Barbosa de Medeiros.

 

José Aberlardo, ou Chacrinha, nasceu na cidade de Surubim. Situada na Zona da Mata pernambucana, Surubim é conhecida na região como a Capital da Vaquejada.

 

Quem primeiro chamou Chacrinha de Velho Guerreiro foi o músico Gilberto Gil, na canção Aquele Abraço.

 

Pouca gente sabe, mas Chacrinha fez faculdade de medicina. O seu primeiro trabalho no rádio foi uma palestra sobre alcoolismo na rádio Clube de Pernambuco.

 

O primeiro programa de rádio de sucesso de Chacrinha foi O Rei Momo da Chacrinha, de 1942, na Rádio Clube de Niterói, no estado do Rio de Janeiro. Detalhe: o Rádio Clube ficava numa pequena chácara, de onde Abelardo retirou o nome Chacrinha.

 

O primeiro trabalho na TV foi no programa Rancho Alegre – do qual participava o humorista Mazzaroppi –, na extinta TV Tupi, em 1956.

 

O bordão “Oh, Terezinhaaa” foi adotado para rimar com o nome de um dos antigos anunciantes de seu programa, a Águas Clarinha.

 

O hábito de jogar bacalhau para a plateia começou em virtude de um encalhe do produto no patrocinador Casas da Banha. Chacrinha dizia que se seu patrocinador fosse uma sapataria, ele jogaria sapatos.

 

Chacrinha não gostava de ver o Ibope do seu programa antes de dormir. Dizia que não dormia direito se antes soubesse da audiência.

 

Os programas de Chacrinha costumavam promover concursos inusitados como “A Mais Bela Criança do Brasil”, “O Cão Com Mais Pulgas”, “A Mais Rápida Datilógrafa”, “A Mais Bela Estudante”, “A Mãe Com Maior Número de Filhos” etc. Por falar nisso…

 

A mais famosa vencedora do concurso da criança mais bela foi a atual apresentadora de TV Angélica.

 

As chacretes começaram a atuar nos programas de Chacrinha em 1967. Elas recebiam nomes como Loura Sinistra, Fernanda Terremoto, Regininha Pinto Pintinha, Vera Furacão, Sueli Pingo de Ouro, Cléo Toda Pura, Estrela Dalva, Gracinha Copacabana, Índia Potira, Sandrinha Pureza, Beth Boné, Ester-Bem-Me-Quer, Míriam Cassino, Leda Zepellin, Sarita Catatau e Rita Cadillac. Ao todo, foram cerca de 500 chacretes. A mais famosa é ainda hoje Rita Cadillac.

 

Com problemas de saúde, Chacrinha alternou o comando do seu programa com o apresentador João Kleber. Anos depois, João Kleber apresentaria os programas Eu Vi na TV, Tarde Quente e Teste de Fidelidade na RedeTV!.

 

Quando morreu, Chacrinha foi velado no hall da Câmara dos Vereadores da cidade do Rio de Janeiro. O velório foi acompanhado por cerca de 30 mil pessoas.

 

Torcedor ardoroso do Vasco da Gama, Chacrinha foi enterrado com uma faixa no time no peito. Ao lado, foi colocada a buzina que ele usava em seus programas.

 

O último Cassino do Chacrinha foi ao ar pela Rede Globo no sábado seguinte à morte do apresentador, no dia 2 de julho de 1988. O programa tinha sido gravado 15 dias antes.

 

Florinda Barbosa, viúva de Chacrinha, lançou a biografia do apresentador em 1997 com o nome de Quem Não se Comunica se Trumbica, um dos bordões do Velho Guerreiro.

 

O Cassino do Chacrinha voltou ao ar no canal Viva em 2011. O Viva é um canal por assinatura focado em programas e novelas antigos da Rede Globo.

 

Principais bordões do Chacrinha: “Quem Não se comunica, se trumbica”; “Eu vim para confundir, não para explicar”; “Oh, Terezinhaaaa”; “Quem quer bacalhau?”.

 

Share: