Paulo Leminski é ainda hoje um dos poetas mais cultuados do século XX. Publicou poemas com forte influência do movimento concretista e poesia haikai. Veja nas linhas a seguir um mix de curiosidades sobre Leminski, um curitibano de espírito brasileiro, um brasileiro de alma japonesa.

 

O tradutor, compositor, escritor e poeta curitibano Paulo Leminski nasceu em 1944 e faleceu em 1989. Seu pai possuía origem polonesa, e sua mãe, africana.

 

Aos 12 anos de idade, matriculou-se no prestigiado Colégio São Bento, em São Paulo, onde estudou latim, teologia, filosofia e literatura clássica.

 

Casou-se pela primeira vez aos 17 anos, com a artista plástica Neiva Maria de Sousa, de quem se separaria pouco tempo depois. Seu segundo casamento foi com a poetisa Alice Ruiz, com quem permaneceu a maior parte da vida. Leminski e Ruiz tiveram três filhos.

 

Leminski publicou seu primeiro poema na revista Invenção, editada pelos concretistas Décio Pignatari, Haroldo de Campos e Augusto de Campos, dos quais era amigo.

 

Costumava publicar seus poemas em revistas alternativas, entre as quais Muda, Antológica e Qorpo Estranho.

 

Além de trabalhar na área de publicidade, Leminski escreveu para publicações importantes como a revista Veja e o Jornal Folha de S. Paulo (suplemento Folhetim).

 

Nem todos sabem atualmente, mas Leminski posou nu para a capa do livro Catatau.

 

Leminski era fascinado pela cultura japonesa. Chegou a escrever a biografia do poeta Matsuo Bashô, considerado um mestre da poesia haikai (poemas curtos japoneses, também conhecidos como haiku). Detalhe: Leminski era também faixa preta de caratê.

 

Chegou a escrever músicas em parceria com Caetano Veloso e Itamar Assumpção, além do grupo A Cor do Som.

 

Costumava receber em sua, em Curitiba, diversos astros da MPB dos anos 1970 e 1980, entre os quais Gal Costa, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Itamar Assumpção e Moraes Moreira, entre outros.

 

Leminski morreu em junho de 1989, aos 44 anos, em consequência de uma cirrose hepática da qual sofreu durante anos.

 

Entre as suas obras mais conhecidas estão Catatau, Agora é Que São Elas, Metamorfose e Toda Poesia.

 

A prefeitura de Curitiba o homenageou batizando um espaço para eventos e espetáculos ao ar livre da cidade com o seu nome. A Pedreira Paulo Leminski fica no bairro de Abranches, perto da Ópera de Arame e Parque Tanguá.

 

Fontes: Wikipédia, EBiografias, Brasil Escola.

 

Share: