A suposta aparição de um alienígena na cidade de Varginha movimentou a imprensa na segunda metade dos anos 1990. Mas até que ponto ela é verdadeira? Confira a seguir 12 curiosidades sobre o misterioso caso do ET de Varginha. Algumas são interessantes.

 

Varginha é um município do sul de Minas Gerais, localizado próximo ao lago de Furnas, com uma população de 119 mil habitantes. Boa parte da sua receita vêm da agricultura, sobretudo da produção de café.

 

Apesar de ser uma grande produtora de cafés do tipo gourmet, Varginha é mais conhecida por outro motivo: o “Incidente de Varginha”. Segundo os ufólogos, a cidade teria sido visitada por naves alienígenas em janeiro de 1996. Um ET teria sido capturado e submetido a autópsia.

 

O “Incidente de Varginha” ocorreu no dia 20 de janeiro, quando as estudantes Kátia Andrade Xavier, com 22 anos naquela época, Liliane Fátima Silva, com 16, e Valquíria Aparecida, 14, toparam com uma estranha criatura agachada num terreno baldio. Assustada, elas gritaram e correram do local.

 

Segundo os relatos das jovens que toparam com a criatura, ele teria características marcantes como magreza, pele marrom, olhos avermelhados e três protuberâncias na cabeça que lembravam chifres. O que chamou a atenção da população, autoridades e ufólogos é que em momento algum elas entraram em contradição em suas descrições do encontro e da suposta criatura.

 

Por coincidência, a polícia tinha recebido na manhã do mesmo dia telefonemas de moradores informando que bichos estranhos rondavam a região. Somou-se a isso relatos de avistamentos de ovnis.

 

As autoridades policiais e os bombeiros foram acionados para perseguir e capturar o que seriam dois ETs. Uma das criaturas teria sido capturada com uma rede e a outra segurada no braço por um policial da Inteligência da Polícia Militar de Minas Gerais. O policial morreria três semanas depois sob condições misteriosas. De acordo com a polícia, ele sequer estava de serviço naquele dia.

 

Conforme os ufólogos, a criatura capturada pelo policial morrera naquela mesma noite. O cadáver teria sido enviado para a Unicamp, onde foi submetida a uma autópsia pelo então legista Fortunato Badan Palhares. O legista sempre negou a informação.

 

Ainda segundo os ufólogos, a autópsia revelara um ser de olhos avermelhados e sem íris, três dedos nas mãos, sem órgãos sexuais, desprovida de mamilos e umbigo e com veias roxas saltadas na altura do pescoço. Ela também teria pele marrom e viscosa.

 

O caso chamou a atenção da imprensa brasileira e estrangeira. Tornou-se também um dos mais estudados por ufólogos do mundo todo. Livros, documentários e reportagens de TV sobre o caso surgiram aos montes nos anos seguintes. Diante de tamanha repercussão, as testemunhas foram dissuadidas a desmentir a história, o que acabou não acontecendo.

 

Um relatório da polícia sobre o caso afirmou terem as meninas confundido um morador das proximidades com problemas mentais – um homem conhecido como Mudinho – com a suposta criatura. De fato, o homem sempre era visto na mesma posição em que a meninas disseram estar o suposto ET.

 

Fato ou não, a história do ET de Varginha trouxe fama mundial para a cidade. Pontos de ônibus e uma caixa d´água em formado de disco voador foram construídos. O ET ganhou até estátuas, chamando a atenção de turistas loucos por uma selfie. Ele também se transformou em mascote da cidade.

 

A imagem do ET é também explorada em campanhas de utilidade pública, manuais sobre segurança no trânsito e guias turísticos. Uma curiosidade: ele ganhou o nome de Grey.

 

Fontes: Wikipédia, Super Interessante – Os Grandes Mistérios da Ciência, IstoÉ, G1.

Share: