Criada pelo cartunista argentino Quino, Mafalda transformou-se numa das personagens dos quadrinhos mais queridas dos brasileiros. Sua popularidade nunca parou de crescer por aqui. Saiba mais sobre Quino e sua criação através das curiosidades a seguir.

 

O nome verdadeiro de Quino, criador da Mafalda, é Joaquín Salvador Lavado Tejón. Ele nasceu na cidade argentina de Mendoza, em 1932.

 

O nome Mafalda, por sua vez, foi em grande parte inspirado numa novela chamada Dar la Cara, do escritor argentino David Viñas. As feições foram inspiradas na avó do cartunista.

 

Mafalda foi criada para uma peça publicitária que seria publicada no jornal Clarín, em 1962. Seria garota-propaganda da marca de eletrodomésticos Mansfield. Suas tirinhas, no entanto, só começaram a ser publicadas em 1964.

 

A primeira tirinha com Mafalda foi publicada na antiga revista Primeira Plana. O sucesso foi tamanho que dois anos depois, ela era conhecida em quase toda a América Latina.

 

As tirinhas de Mafalda foram publicadas entre 1964 e 1973.

 

Mafalda é fã dos Beatles e do Pica-pau. Entre as coisas que ela odeia está a sopa.

 

Os personagens secundários das tirinhas são o pai, a mãe, Felipe, Manolito, Susanita, Miguelito e Guile, o irmão caçula.

 

As tirinhas de Mafalda foram publicadas pela primeira vez no Brasil em 1973, numa revista destinada ao público adolescente chamada Patota.

 

Uma série animada com 260 episódios foi produzida em 1972. Eram episódios curtíssimos, com cerca de 1 minuto e meio de duração, mas que fez enorme sucesso entre os fãs de Mafalda. No Brasil, ela foi exibida pela Rede Globo.

 

As tirinhas com a personagem foram publicadas em 26 idiomas, inclusive em chinês. Curiosamente, não existe praticamente nada publicado em inglês, uma das línguas mais faladas do mundo. Mafalda nunca foi publicada nos Estados Unidos.

 

Existe em Buenos Aires uma praça chamada Mafalda, além de uma estátua em sua homenagem.

 

Mafalda foi ressuscitada diversas vezes por Quino, numa delas para ilustrar a Declaração Universal dos Direitos Humanos, a pedido do Unicef (Fundo das Nações Unidas Para a Infância).

 

Fontes: Wikipédia, UOL, Guia dos Curiosos, Modas e Manias.

Share: