Roberto Carlos nasceu no dia 19 de abril de 1941. Aliás, quem também sopra velinhas no mesmo dia são a tenista russa Maria Sharapova, a atriz norte-americana Kate Hudson, o ator canadense Hayden Christensen, a escritora brasileira Lygia Fagundes Telles, o pintor colombiano Fernando Botero, o ator estadunidense James Franco e o jogador brasileiro Rivaldo.

 

Com nove anos de idade, Roberto gostava de ouvir e imitar Bob Nelson. Fã declarado do cantor, gravou com seu amigo Erasmo Carlos uma música chamada A Lenda de Bob Nelson.

 

A primeira gravação de Roberto foi um compacto de vinil com 78 rpm com as músicas João e Maria e Fora do Tom. O disco saiu em 1959.

 

Louco por Você, de 1961, o primeiro LP de Roberto Carlos, é um dos mais disputados por colecionadores e fãs do rei. Motivo: foram impressas apenas 500 cópias.

 

Você sabia que, do início da carreira até o final da década de 2000, Roberto lançou quase 100 discos entre compactos, LPs e CDs?

 

A partir da década de 1970, Roberto passou a lançar um disco inédito por ano. A única ocasião em que não lançou nenhuma novidade foi em 1999, quando sua esposa Maria Rita faleceu.

 

Você sabia que em quase 60 anos de carreira – que serão completados em 2019 – Roberto vendeu por volta de 100 milhões de álbuns? Ele é o cantor brasileiro que mais discos vendeu em todo o mundo.

 

Roberto gravou 12 canções em inglês, 61 em italiano, 4 em francês, 244 em espanhol e… até agora quase 400 em português.

 

Roberto Carlos foi o primeiro não-italiano a vencer o célebre Festival de São Remo, em 1968.

 

O compositor, produtor musical e apresentador de TV Carlos Imperial foi um dos maiores incentivadores da carreira de Roberto. Além de ser o autor das músicas do primeiro compacto do futuro rei, Carlos Imperial produziu o seu primeiro LP, cujo título era Louco Por Você.

 

Em seu programa de TV – transmitido no início dos anos 1960 com o nome de Clube do Rock –,Carlos Imperial chamava Roberto Carlos de “o Elvis brasileiro”.

 

Você sabia que Wanderléa e Roberto Carlos foram namorados antes da época da Jovem Guarda?

 

O programa Jovem Guarda era comandado por ninguém menos que Roberto Carlos e seus amigos Erasmo Carlos e Wanderléa. A ideia de convocar Erasmo e Wanderléa para dividir a apresentação do programa partiu do próprio Roberto.

 

O termo “iê-iê-iê” foi usado como denominação do rock brasileiro dos anos 1960 (entenda-se Jovem Guarda). Dizia-se que Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Wanderléa e toda a turma da Jovem Guarda fazia “iê-iê-iê”. Esse termo surgiu de músicas como She Loves You, em que os Beatles repetiam “yeah-yeah-yeah”.

 

Quase todos os astros da Jovem Guarda tinham apelido: Roberto Carlos era chamado de O Brasa, Erasmo Carlos era o Tremendão, Wanderléa era a Ternurinha, Wanderley Cardoso era o Bom Rapaz, Rosemary era a Fada e Martinha o Queijinho de Minas.

 

A popularidade de Roberto Carlos e seus amigos rompeu as fronteiras da música e da TV, chegando aos cinemas. Entre 1968 e 1971, Roberto gravou três filmes de grande popularidade (produções que, aliás, foram reprisadas inúmeras vezes na Sessão da Tarde dos anos 70): Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-rosa, Roberto Carlos em Ritmo de Aventura e Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora.

 

O título de “Rei” foi dado a Roberto Carlos pelo apresentador de TV Chacrinha. A coroação ocorreu em 1966, durante um programa do Velho Guerreiro.

 

Depois de ouvir inúmeras vezes que seu avô costumava cair de cavalos marrons, Roberto acabou implicando com essa cor.

 

Outras manias do Rei: obsessão pelas cores branca e azul, paixão por flores, conversar com as plantas, tomar banho só com sabonete de glicerina, não usar perfume, não pronunciar as palavras mal e azar, esquecer o número 13 e odiar (também) as cores preto e roxo.

 

As músicas Quero Que Vá Tudo Pro Inferno, Não Quero Você Triste e A Volta foram inspiradas no namoro de Roberto com uma programadora musical de uma rádio do Rio chamada Magda Fonseca. O relacionamento durou três anos.

 

A atriz Myriam Rios, outro grande amor de Roberto, inspirou músicas como A Atriz e Eu Preciso de Você.

 

Para a ex-esposa Nice (que, assim como Maria Rita, morreu de câncer), Roberto gravou músicas como Amada Amante, Como é Grande o Meu Amor Por Você e Sua Estupidez.

 

Para Maria Rita, foram gravadas as canções Amor Sem Limite, O Grande Amor da Minha Vida, Pra Sempre e Eu Te Amo Tanto.

 

Composta em 1976, a música Lady Laura homenageia Laura Moreira Braga, a mãe do cantor.

 

Meu Querido, Meu Velho, Meu Amigo foi gravada em 1979 em homenagem a Robertino Braga, o pai do cantor.

 

As músicas Traumas e O Divã falam do acidente em que perdeu a perna.

 

Roberto gravou em 2001 um programa acústico para a MTV, só que, devido ao contrato de exclusividade com a Rede Globo, esse programa nunca pôde ir ao ar.

 

O programa anual de Roberto Carlos na Rede Globo começou a ser transmitido em 1974.

 

Os especiais de final de ano foram exibidos em mais de 20 países, inclusive nas distantes Albânia e Finlândia.

 

Em 2009, um grupo de 20 cantoras consagradas fizeram um show em homenagem a Roberto no Teatro Municipal de São Paulo. O show deu origem a um CD duplo intitulado Elas Cantam Roberto. Quem participou: Hebe Camargo, Cláudia Leitte, Ivete Sangalo, Mart’nália, Nana Caimmy, Wanderléa, Sandy, Rosemary, entre outras.

 

Entre os cantores que já fizeram dobradinha no palco com Roberto estão: Julio Iglesias, Rita Lee, Roupa Nova, Tom Jobim, Simone, Caetano Veloso, Neguinho da Beija-flor, Ivete Sangalo, Zezé di Camargo e Luciano, Jota Quest, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Daniela Mercury, Cauby Peixoto, Cláudia Leite, Joana Hebe Camargo, Leandro e Leonardo, Xuxa, Ângela Maria, Chico Buarque, Fábio Jr. e etc, etc, etc.

 

Os cantores e grupos que gravaram músicas de Roberto: Titãs (É Preciso Saber Viver), Fafá de Belém (Desabafo), Maria Bethânia (Fera Ferida), Joana (Nossa Senhora), Ana Carolina (Força Estranha), Os Vips (É Preciso Saber Viver), Sandy (As Canções que Você Fez Para Mim), Alcione (Sua Estupidez), Jota Quest (Além do Horizonte), Ivete Sangalo (Lady Laura) e etc, etc, etc.

 

Em 2011, Roberto Carlos foi enredo da escola de samba Beija-Flor. O próprio Roberto participou do desfile num carro alegórico. Com a vitória da escola de Nilópolis, Roberto fez questão de “cair” novamente na avenida no desfile das campeãs do carnaval carioca.

 

Share: