O Cazaquistão é o nono maior país do mundo. Também é o maior país sem costa marítima.

 

O termo qazaq (cazaque), que dá nome aos habitantes do país significa “livre”, “independente”. É provável que remeta à origem nômade da população.

 

O Cazaquistão fez parte da União Soviética entre 1922 e 1991, quando se tornou um Estado independente. Hoje, é um dos integrantes da Comunidade dos Estados Independentes, que aglutina países da antiga União Soviética.

 

A capital do país foi Almaty até 1997. Hoje, a capital é a moderna cidade de Astana.

 

Com 800 mil habitantes, Astana é a cidade que mais cresce no país. Os prédios de arquitetura moderna, shoppings e lojas de grife transformaram a nova capital Cazaque numa espécie de Dubai – um centro de atração para endinheirados – da Ásia Central.

 

A maior parte da população professa a religião islâmica. Existem ainda contingentes de católicos, luteranos, batistas e, principalmente, seguidores da Igreja Ortodoxa Russa.

 

Apesar da enorme extensão territorial (detalhe: o Cazaquistão é maior do que a Europa Ocidental), o país é pouco povoado. São apenas 15,5 milhões de habitantes, uma população menor do que a de regiões metropolitanas como Nova York, Cidade do México e São Paulo.

 

Falada por 64% da população, o cazaque (ou cazaquistanês) é a língua oficial do Estado. A maioria da população, no entanto, domina muitíssimo bem o russo, idioma usado nos negócios.

 

A língua original cazaque é uma língua turcomana, da família altaica. Entre as línguas turcomanas estão o uzbeque, o uigur e o turco, entre outras.

 

A maior base de lançamento de foguetes do mundo é a de Baikonur, no Cazaquistão. Chamado de Cosmódromo de Baikonur, foi de lá que partiu o primeiro satélite artificial, o Sputnik I, e o primeiro homem a ir para o espaço, o russo Yuri Gagarin.

 

Nursultan Nazarbayev é o atual presidente. Detalhe: ele foi eleito pela primeira vez em 1991 e desde então tem sido reeleito inúmeras vezes.

 

Entre os valores tradicionais do Cazaquistão está o apreço pela hospitalidade. As famílias cazaques costumam receber muitíssimo bem os visitantes, para quem é abatido um cordeiro e servido um verdadeiro banquete.

 

Situado na fronteira entre o Cazaquistão e o Uzbequistão, o Mar de Aral foi vítima de um dos maiores desastres ambientais da história. Parte das águas dos rios que o alimentavam foi desviada pelo governo soviético para projetos de irrigação, minguando o Aral. Hoje, ele tem apenas 10% do seu tamanho original e é considerado o mar interior mais seco do mundo.

 

Apesar de fazer parte da Ásia Central (entre os países que com ele fazem fronteira está a China), o Cazaquistão participa da Eurocopa, um dos mais importantes campeonatos de futebol do continente europeu. A seleção cazaque, no entanto, nunca conseguiu uma atuação que merecesse destaque.

 

Os verões são quentes e o invernos – prepare-se se pretende viajar para lá nos primeiros meses do ano – extremamente frios. Em Astana, a temperatura pode ultrapassar os 30º Celsius negativos (isso mesmo: 30 abaixo de zero).

 

Share: