Localizada no Atlântico Norte, a Islândia é uma ilha gelada e com intensa atividade vulcânica. É habitada por um povo de origem nórdica, descendente dos vikings. Sua capital é Reikjavik. Descubra nas linhas a seguir 16 curiosidades sobre esse fascinante país.

 

A palavra Islândia significa algo como “Terra do Gelo”. À propósito, o nome do país em inglês é Iceland.

 

O povo islandês possui origem nórdica, a mesma de suecos, dinamarqueses e noruegueses. Aliás, contam que os primeiros colonizadores do país teriam partido justamente da atual Noruega.

 

A Islândia é uma ilha assentada sob uma cordilheira no Oceano Atlântico. Tal cordilheira – e que é por muitos chamada de Dorsal Atlântica, cabe aqui lembrar – divide as placas tectônicas que separam Europa e América do Norte e faz da Islândia um dos locais de maior atividade geológica do mundo.

 

Apesar de pertencer oficialmente à Europa, a Islândia se localiza numa região mais próxima da América do Norte.

 

A população islandesa é de 320 mil habitantes, mais ou menos a população da pequena cidade paulista de São Caetano do Sul. Detalhe: metade dos islandeses vivem na capital Reikjavik (ou Reiquiavique).

 

Quase 100% da energia elétrica produzida pelo país provém de fontes renováveis.

 

Existe uma rodovia chamada Perimetral, que circunda toda a ilha da Islândia.

 

Se há algo que chama a atenção na paisagem islandesa é a ausência de árvores. Isso mesmo: a Islândia possuiu pouquíssimas árvores e praticamente nenhuma floresta. As árvores foram derrubadas pelos colonizadores vikings para obter lenha.

 

Os verões são extremamente curtos, começando em junho e terminando em meados de agosto. A temperatura média durante um dia de verão é de 15º Celsius. Quanto aos invernos…

 

Os invernos islandeses são “menos congelantes” do que o de outras localidades na mesma latitude. O clima oceânico da ilha faz com que as temperaturas dificilmente fiquem muito abaixo de zero nos meses mais frios do ano.

 

Reikjavik é a capital mais setentrional – ou seja, mais ao Norte – do mundo.

 

Os islandeses tem o hábito (um pouco estranho para nós) de deixar os bebês do lado de fora dos cafés e restaurantes. A impressão dos desavisados turistas é de que as crianças foram abandonadas.

 

Você já reparou que a bandeira da Islândia (imagem acima) é parecida com a dos demais países nórdicos?

 

A erupção do vulcão Eyjafjallajoekull (na verdade, um vulcão localizado numa geleira) paralisou quase todo o tráfego aéreo europeu em 2010. O receio era de que a poeira gerada pela erupção afetasse a turbina das aeronaves, aumentando o risco de desastres aéreos.

 

A Islândia foi o primeiro país do mundo a ter uma chefe de governo declaradamente homossexual, a primeira-ministra Jóhanna Siguroardóttir.

 

O prato nacional islandês é o porramatur. Na verdade, o porramatur não é exatamente um prato mas um conjunto de pratos típicos, que inclui pão de centeio, carne de tubarão fermentada (é isso mesmo que você pensou: carne podre), peixe seco, carne de foca, cabeça de ovelha, testículos de ovelha, salsicha de fígado de ovelha e sangue de ovelha.

 

Quer aprender a falar a língua local? Então, vamos começar por algumas atrações turísticas. Decore os nomes: Hvalfjördur (um centro pesqueiro islandês), Snaefellsjökull (uma das maiores geleiras do país), Vatnajökull (outra geleira famosa), Fjallabak (importante reserva florestal), Pingvallakirskja (famosa igreja local), Reikjavik (capital do país).

Share: