O naturalista Charles Darwin é considerado um dos homens mais importantes da história da ciência. Ele é autor do livro A Origem das Espécies. Percorra as linhas a seguir e descubra uma série de curiosidades sobre a sua vida e sua viagem no Beagle, o navio que certa vez o trouxe para o Brasil.

 

O geólogo, biólogo e naturalista britânico Charles Darwin nasceu na localidade de Shrewsbury, em 1809, e faleceu em Downe, em 1882.

 

Charles perdeu a mãe quando tinha somente 8 anos de idade, sendo criado pelas três irmãs mais velhas.

 

Estudou por um tempo medicina da Universidade de Edimburgo, mas abandonou o curso por achar as aulas chatas e por perceber que não tinha vocação para realizar cirurgias.

 

Lançado por Darwin em 1859, o livro A Origem das Espécies recebeu o seguinte título original: “Da origem das espécies por meio da seleção natural ou a preservação de raças favorecidas na luta pela vida”.

 

Com uma tiragem inicial de 1.250 exemplares, A Origem das Espécies foi o livro mais vendido no ano de seu lançamento.

 

A expedição do HMS Beagle tinha como missão coletar espécies de animais e plantas, além de mapear costas, que eram desconhecidas dos britânicos da época.

 

Poucos cientistas se interessaram pelas remotas Ilhas Galápagos, no Oceano Pacífico, e um deles foi Charles Darwin. Ele observou pequenas diferenças nas características físicas dos animais que habitavam as ilhas, principalmente nos bicos de uma ave do tamanho de um pardal chamada de tentilhão. Darwin percebeu que o bico era perfeitamente adaptado ao ambiente da ilha onde determinada ave vivia. Foi graças a observações como essa que ele formulou uma das mais importantes ideias da história da ciência: a teoria da evolução.

 

Fanny Owen, a sua namorada na época, prometeu esperar o fim da expedição do Beagle para ambos se casarem. Mas, ao chegar ao Rio de Janeiro, Darwin recebeu uma carta dela informando que ficaria noiva de outro. O naturalista, obviamente, ficou desapontado, mas nem por isso desistiu de continuar com a expedição.

 

No final das contas, Darwin se casou com Emma Wedgewood, sua prima, com quem acabaria tendo 10 filhos. A relação durou 43 anos, terminando somente com a morte do naturalista.

 

O mais curioso é que antes de assumir compromisso com a jovem Emma, ele elaborou uma criteriosa lista com os prós e contras do casamento. Entre os pontos positivos, elencou os filhos e “a companhia constante de uma pessoa que pudesse amar”. E entre os negativos, a falta de liberdade para ir onde quisesse e para participar de “conversas com outros intelectuais”.

 

O que mais o deixou chocado durante a passagem pelo Rio de Janeiro foi a escravidão, que ainda estava longe de ser abolida no Brasil. Ao tentar se comunicar com um escravo através de mímica, Darwin ficou espantado com a reação dele, que se comportou como se achasse que ele fosse espancá-lo.

 

Darwin foi testemunha de um forte terremoto durante a sua passagem pelo Chile, em 1835. Além de descrever os efeitos do tremor, ele tentou descobrir a sua causa, concluindo que podia ter relação com uma cadeia de vulcões na costa daquele país, que entraram em erupção pouco antes da chegada do Beagle.

 

No dia em que Darwin faria aniversário, seus admiradores promovem uma série de eventos em sua homenagem. A data é conhecida entre eles como Darwin Day (Dia de Darwin, em tradução livre).

 

Para lembrar do paladar excêntrico do naturalista, seus admiradores promovem um evento chamado “Phylum Feast”, onde comem um porção de pratos exóticos. E o fato é que Darwin costumava provar pratos diferentes durante a viagem do Beagle, incluindo carne de tatu, tartarugas, pumas e espécies diferentes de aves.

 

Sabe-se que Darwin era extremamente crítico com sua aparência (acredite se quiser, mas ele se considerava feio), demonstrando possuir sérios problemas com sua autoestima.

 

A primeira edição de A Origem das Espécies foi vendida num leilão realizado em 2009 por nada menos que R$ 436 mil.

 

Darwin sofreu bastante em virtude de problemas cardíacos nos anos que antecederam a sua morte. Suspeita-se atualmente que tais problemas tenham sido provocados pela picada de um barbeiro, e provavelmente na América do Sul, levando a crer que o naturalista tinha doença de Chagas.

 

Acometido pela doença, Darwin passou grande período de tempo acamado. Para afastar o tédio, ele costumava jogar gamão com sua esposa, e sempre no mesmo horário.

 

Darwin foi sepultado na Abadia de Westminster, perto de ninguém menos que Isaac Newton e Stephen Hawking (sendo este último sepultado recentemente).

 

Existe uma montanha na Terra do Fogo, extremo sul da Cordilheira dos Andes, batizada em sua homenagem. O Monte Darwin possui 2.483 metros de altitude. Detalhe: ela praticamente no Estreito de Beagle.

 

Você já ouviu falar no Darwin Awards? Pois trata-se de um prêmio atribuído a pessoas que fizeram bobagens inacreditáveis e autores de pesquisas com resultados inúteis. Ele parte do pressuposto de que estes indivíduos contribuem para o aperfeiçoamento do “pool” genético humano quando morrem.

 

Fontes: Wikipédia, Mega Curioso, InfoEscola, UOL.

 

Share: