A heroína é uma das principais drogas derivadas do ópio. Tornou-se recentemente um problema gigantesco para países como Estados Unidos, onde ocorreu uma epidemia com elevado número de mortes. Mas o que você sabe sobre essa droga ilegal e viciante? Percorra as linhas adiante e descubra alguns fatos e curiosidades sobre a heroína.

 

A heroína é uma droga derivada do ópio. Entre os outros opiáceos vale lembrar da codeína, buprenorfina, oxicodona, nalbufina e morfina.

 

O ópio uma substância extraída da papoula. O maior exportador de ópio do mundo é o Afeganistão, que responde por 86% da produção mundial.

 

A palavra ópio veio do grego e significa suco. Ele recebeu esse nome por causa do líquido resino que escorre do botão da papoula no momento em que a incisão é feita. É também a partir desse líquido que são produzidas drogas como a heroína.

 

A heroína foi sintetiza pela primeira vez em 1898, e com o objetivo de curar o vício em morfina. A descoberta de que ela é três vezes mais viciante, no entanto, acabou levando à proibição.

 

Bastam apenas cinco doses de heroína para que o vício se instale. Livrar-se dele é mais difícil e exige três anos de tratamentos custosos e bastante doloridos.

 

A heroína é injetada diretamente no sangue através de injeção intravenosa e seu efeito pode durar até quatro horas. Entre esses efeitos estão o torpor, o sentimento de leveza, a euforia e a diminuição nas sensações de dor e angústia.

 

Os usuários frequentes podem apresentar cegueira, surdez, delírios e inflamação das válvulas cardíacas, chegando ao coma. Um dos mais terríveis efeitos colaterais da heroína é a necrose, causada em pessoas que costumam utilizar a droga na forma injetável.

 

Seringas compartilhadas estão entre as principais causas de contaminação por vírus como os da hepatite e AIDS.

 

Estima-se que 9,2 milhões de pessoas em todo o mundo sejam usuárias de heroína.

 

Os maiores consumidores de heroína do mundo são os europeus (26%), seguidos dos russos (21%). De cada cinco mortes relacionadas às drogas, quatro estiveram relacionadas com opióides, principalmente a heroína.

 

A abstinência de heroína é extremamente perigosa. Na falta dela, o coração dispara, sujeitando o dependente a um ataque cardíaco. O corpo torna-se incapaz de regular sua temperatura, fazendo com que o usuário transpire em excesso e tenha calafrios. Os outros efeitos são diminuição da libido, cólicas e diarreias.

 

O artista norte-americano Jean-Michel Basquiat, conhecido por seus criativos grafites, botou um ponto final na própria vida com uma overdose de heroína.

 

Também natural dos Estados Unidos, a cantora Janis Joplin faleceu em virtude de uma overdose de heroína possivelmente combinada com os efeitos do álcool.

 

Entre as palavras/termos de baixo calão utilizadas para se referir à heroína estão brown sugar, açúcar, black tar, heroa, merda, burra, cavalete, H, veneno, bomba e gold (heroína muito pura).

 

A morfina é muito utilizada como droga anestésica e medicamento contra dores crônicas, inclusive do pós-operatório. Os médicos também costumam receitar morfina para pacientes terminais de AIDS, câncer e outras doenças que provocam dores insuportáveis.

 

Fontes: Wikipédia, Mundo Educação, Portal São Francisco.

 

Share: