A Etrúria era uma região da península itálica onde fica atualmente o território da Toscana. Não era propriamente uma nação, mas uma cultura com língua, arte e religião comuns.

 

O território etrusco era formado por cidades-Estados com governos e legislações próprios, assim como as antigas cidades gregas. Entre essas cidades, estavam Tarquínia, Veio, Arezzo, Populonia, Cortona e Cerveteri.

 

O etruscos eram chamados pelos gregos de tirrenos, nome pelo qual tornaram-se conhecidos na antiguidade. Tirreno é atualmente o nome de um dos braços de mar na costa da Itália.

 

A origem dos etruscos é ainda um mistério. Para o historiador grego Heródoto, eles eram naturais da Lídia, na Ásia Menor. Na opinião de outros estudiosos, tratava-se de um povo autóctone, ou seja, surgido naquele mesmo lugar. Mas é cada vez mais aceita a teoria de que o povo etrusco tenha surgido da miscigenação de povos vindos do oriente com a população local.

 

O que se sabe sobre a língua etrusca é que ela não possuía nenhum parentesco com as línguas europeias.

 

Grandes ceramistas, os etruscos produziam um tipo de cerâmica negra comparável em qualidade à chinesa. Detalhe: a técnica é até hoje desconhecida dos especialistas.

 

Os etruscos dominavam as técnicas metalúrgicas como poucos. Costumavam fazer desde armas a objetos de decoração em bronze, que exportavam para boa parte da Europa. Também eram mestres na ourivesaria.

 

Os cemitérios etruscos eram necrópoles grandes e suntuosas. Não é sem motivos que alguns historiadores teimam em afirmar que as verdadeiras cidades etruscas eram os cemitérios.

 

As tumbas etruscas eram autênticas casas subterrâneas redondas, que possuíam salas, quartos e cama. Os mortos eram sepultados com todos os seus objetos pessoais, inclusive roupas.

 

O panteão de deuses etruscos parecia-se em muitos aspectos com o grego, com um deus-supremo que exercia autoridade sobre todos os outros deuses. Os etruscos eram também simpatizantes da arte da adivinhação, seja através da “leitura” das entranhas de animais sacrificados ou de fenômenos da naturezas como os raios.

 

Os etruscos utilizavam um alfabeto inspirado no alfabeto grego que, por sua vez, era influenciado pelo fenício. Por sinal, eles foram altamente influenciados pelos gregos, seja na arte, cerâmica, arquitetura ou escrita.

 

Os etruscos foram subjugados por Roma por volta do ano 100 antes de Cristo, mas deixaram uma forte influência cultural, inclusive na arte, cerâmica, arquitetura e escrita. Um desses legados foi o naturalismo na arte.

 

Fontes: Wikipédia, História Viva, Superinteressante.

 

Share: