O Egito não é o único país onde existem pirâmides, e tampouco é o país com maior quantidade dessas construções. Veja nas próximas linhas alguns fatos interessantes e surpreendentes sobre as pirâmides do Egito. Você sabia, por exemplo, que elas podem ter sido construídas por homens livres, não por escravos?

 

Os egípcios não foram os únicos a construir pirâmides. Existem pirâmides em vários países – Sudão, México, Guatemala, Peru, Grécia e China –, construídas pelas mais diversas civilizações. As mais famosas fora do Egito são as pirâmides maias, localizadas no México e Guatemala.

 

Existem cerca de 110 pirâmides conhecidas no Egito. O país com o maior número de construções desse tipo, no entanto, é provavelmente o vizinho Sudão – chamado na antiguidade de Núbia –, com cerca de 250 pirâmides.

 

Ao contrário do que se imagina, a palavra pirâmide não provém da antiga língua egípcia. Ela foi formada a partir das palavras gregas “pyra” (que significa luz, fogo) e “midos” (cujo significado é medidas).

 

Por que os três grandes – e mais famosos, devemos reconhecer – monumentos são chamados de pirâmides de Gizé? Por estarem localizados no planalto de Gizé, na periferia do Cairo, capital do moderno Egito. Gizé é também uma cidade da região metropolitana do Cairo.

 

Queóps, Quéfren e Miquerinos foram pai, filho e neto.

 

A mais famosa pirâmide egípcia é a de Khufu – ou Quéops, seu nome em grego. Construída em 2550 antes de Cristo, ela é a única das Setes Maravilhas do Mundo antigo que permanece de pé.

 

A grande pirâmide foi por mais 2.000 anos a maior construção do mundo. Só foi superada em 1311 com a construção da catedral de Lincoln, na Inglaterra.

 

A pirâmide de Khufu possui 230 metros de comprimento de cada lado e 146 metros de altura. Ela pesa 5 milhões de toneladas.

 

Você teria que caminhar cerca de 1 quilômetro para dar a volta na grande pirâmide. Se tentasse ir ao topo, escalaria uma altura equivalente a um edifício de 40 andares.

 

A pirâmide esconde um complexo sistema de labirintos, alguns muitos estreitos. Existem também diversas câmaras sem saída. Acredita-se que poderão haver outras galerias desconhecidas.

 

O tamanho dos blocos da grande pirâmide varia bastante, mas a média é de 2,5 toneladas. O maior bloco pesa 80 toneladas. Ao todo, foram usados 2,3 milhões de blocos na construção.

 

O granito utilizado na decoração da câmara do rei – ou seja, do local onde ele foi sepultado –, foi extraído da pedreira de Assuã, a 800 quilômetros do local onde a pirâmide foi erguida.

 

Não deve ter sido fácil transportar blocos de 2,5 toneladas até a grande pirâmide. Os egípcios, no entanto, tinham um truque só recentemente descoberto pela ciência. Eles transportavam os blocos em trenós. A frente curva do trenó diminuía o atrito com a areia do deserto, que era molhada para facilitar o seu deslizamento.

 

As grandes pirâmides não foram erguidas por escravos, mas por trabalhadores livres. Evidências colhidas nas proximidades desses monumentos indicam que elas foram construídas por 10 mil pessoas, que recebiam 21 vacas e 23 cordeiros diariamente para as suas refeições. O pagamento a cada um dos trabalhadores era feito com pão e cerveja.

 

Não se sabe ainda de quem é o rosto da esfinge localizada a poucos metros do complexo piramidal, mas é cada vez maior o consenso de que seja do faraó Queóps.

 

Ninguém sabe quem destruiu o nariz da esfinge. Algumas lendas dizem que ele teria sido arrancado por balas de canhão da artilharia de Napoleão, ou também por tropas britânicas.

 

Todas as pirâmides do Egito foram erguidas na margem oeste do Rio Nilo, na mesma direção do sol poente. Os egípcios acreditavam que os faraós se juntariam ao Sol ao serem enterrados daquele lado. Para eles, o Sol representava uma divindade chamada Rá.

 

Algumas pessoas acreditam que, em virtude da complexidade e tempo exigidos na construção, as pirâmides foram erguidas com o auxílio de alienígenas. É o caso do ufólogo suíço Erick Von Däniken, que propagava que não só as grandes pirâmides, mas muitos monumentos da antiguidade tiveram uma mãozinha dos ETs.

 

Fontes: BBC Brasil, National Geographic, Mundo Estranho, Wikipédia, Hypescience, Aventuras na História.

 

Share: