Siga as linhas abaixo e descubra as curiosidades e fatos interessantes que nós reservamos sobre a descoberta da América. Você sabia, só para citar um exemplo, que o continente pode ter sido descoberto por vikings séculos antes dos europeus? Confira.

 

Foram os europeus (propriamente um grupo espanhol sob o comando de um italiano) que descobriram a América, certo? Errado. Pelo menos para alguns estudiosos. Eles acreditam que polinésios, fenícios, vikings e até chineses teriam chegado ao novo continente antes dos espanhóis.

 

Uma das teorias mais interessantes sobre a descoberta da América é a dos vikings. Para alguns pesquisadores, eles teriam fundado colônias na Groenlândia e na costa Leste do Canadá. Essas novas terras eram provavelmente chamadas de Vinilândia.

 

A teoria de que os chineses teriam descoberto a América ainda é motivo de controvérsias. Seus defensores sustentam que eles não só chegaram ao continente antes de Colombo, como descobriram o subcontinente australiano. Existe inclusive um grupo que sustenta que o Brasil foi descoberto antes de 1500 por um chinês chamado Zheng He.

 

Ao contrário do que pensam os desinformados, Colombo não era espanhol. O descobridor nasceu na cidade italiana de Gênova. Seu nome em italiano é Cristoforo Colombo.

 

Não se sabe até que ponto é verdade, mas alguns historiadores argumentam que Colombo teria proposto a viagem para as Índias pelo Atlântico ao rei de Portugal antes de sugeri-la à Coroa espanhola.

 

As três caravelas que acompanharam Colombo em sua descoberta chamavam-se Santa Maria, Pinta e Nina.

 

As caravelas espanholas tinham espaços pequenos, dimensões modestas (apenas 16 metros de comprimento). Os marinheiros viajavam amontoados.

 

O abastecimento das caravelas era feito com peixe seco ou salgado, carne vermelha defumada, azeitonas, mel, uvas-passas, ameixas, queijos, cebolas, lentilhas, fava, biscoitos, vinho e água. Alguns animais vivos também eram embarcados para servirem de alimento fresco em alto-mar (detalhe: quando faltava lenha, eram consumidos crus).

 

Quando o estoque de comida chegava ao fim – que não era raro de acontecer em viagens longas –, os marinheiros eram forçados a se alimentar com biscoitos moles, vinho e água. Mas quando batia os desespero, caçavam ratos para transformá-los em refeição.

 

A doença mais comum no período das grandes navegações era o escorbuto (chamado também de “mal de Luanda”), provocado pelo déficit de vitamina C.

 

Infestações de percevejos, pulgas e piolhos eram frequentes nos navios.

 

A América foi descoberta às 2h da manhã de 12 de outubro de 1492. O primeiro homem a avistar a novas terra chamava-se Juan Rodríguez Bernejo, a bordo da nau Pinta.

 

A primeira terra descoberta foi batizada por Colombo de San Salvador. Hoje ela é conhecida como Bahamas.

 

Cristóvão Colombo fez quatro viagens ao novo continente. Na primeira, teria descoberto as Bahamas; na segunda, chegou a Dominica; na terceira, Antilhas e Jamaica; e na quarta, Trinidad.

 

A primeira cidade fundada pelos espanhóis foi Santo Domingo, na ilha de Hispaniola (a moderna capital da República Dominicana), em 1496. A primeira em terras continentais foi San Sebastián de Urabá, na Colômbia, erguida em 1510.

 

O primeiro desastre ecológico da era moderna aconteceu na ilha de Hispaniola, que foi infestada por formigas europeias levadas acidentalmente pelos colonizadores europeus.

 

Outro grande desastre foi uma infestação de minhocas, ocorrida na atual costa Leste dos Estados Unidos. Levadas por colonos, as minhocas destruíram florestas e culturas indígenas.

 

Até o descobrimento da América, os europeus (e o resto do mundo!) desconheciam o tomate, a batata, o milho, o chocolate e o tabaco.

 

A palavra chocolate vem de xocoatl (do asteca xococ “amargo” + atl “água”). Os maias e os astecas (povos pré-colombianos) consumiam o chocolate na forma de uma bebida misturada a água e pimenta. Entre os astecas, a bebida só podia ser consumida pelos imperadores.

 

Passados apenas 60 anos após a descoberta de Colombo, já havia pessoas fumando tabaco no Japão.

 

O contato com o branco europeu foi desastroso para as culturas do novo continente. Além de escravizarem boa parte desses povos, os europeus levaram doenças até então desconhecidas nessas terras, como a varíola.

 

O descobrimento do novo continente também teve impacto no plano mental europeu, influenciando pensadores como o inglês Thomas Morus (autor de A Utopia) e o francês Michel de Montaigne (de Ensaios).

 

A América recebeu esse nome em homenagem ao aventureiro e mercador italiano Américo Vespúcio (Amerigo Vespucci).

 

Share: