Uganda é um país da África que faz fronteira com Ruanda, Tanzânia e Quênia, entre outros. Sua capital e maior cidade é Kampala. Descubra algumas informações curiosas e desconhecidas sobre esse pequeno país onde vive 36 milhões de pessoas.

 

Além de Kampala, as maiores cidades ugandenses são Gulu, Lira e Mbarara.

 

A população de 36,5 milhões de habitantes (dados de 2012) é formada por 40 grupos étnicos diferentes, que falam línguas africanas como o suaíli e o luganda.

 

A maioria da população segue o cristianismo, principalmente a Igreja Católica. Poucos mais de 10% é adepta do islamismo.

 

Uganda possui uma das maiores taxas de analfabetismo da África, senão do mundo: 73,2 %. Detalhe: a maior parte dos analfabetos é homem.

 

Uganda foi colônia britânica durante mais de 150 anos, só conquistando a independência em 1962.

 

Desde a independência até o final dos anos 1980, o país foi assolado por guerras civis e governado por regimes ditatoriais. Uganda é atualmente uma república presidencialista com voto universal.

 

O país foi durante oito anos (1971 a 1979) governado pelo ditador Idi Amin Dada, que eliminou em torno de 300 mil opositores e desafetos. Dizem que certa vez teria escrito para a rainha britânica afirmando que se ela quisesse conhecer um homem de verdade que fosse para Uganda. Além disso, rompeu relações com o Reino Unido e se autoproclamou “o último rei da Escócia”. Após ser deposto, Idi Amin buscou exílio na Arábia Saudita, onde morreu anos depois.

 

A agricultura é responsável por quase 60% da economia do país, e graças em parte a produtos de exportação como o café, o chá e o algodão.

 

O ponto mais alto do país é um vulcão extinto chamado Elgon, com 4.321 metros de altitude.

 

A principal reserva ambiental de Uganda é o parque Mgahinga, que sozinho abriga 20% da população de gorilas-da-montanha, uma espécie em perigo de extinção.

 

Apesar de jamais ter sido classificada para a Copa do Mundo da FIFA, Uganda é apaixonada por futebol. Uma curiosidade: a seleção é representada por um dos principais times do país, chamado The Cranes.

 

O número de filhos por mulher é sete, uma das mais elevadas do mundo.

 

Um jornal local chamado The Rolling Stone (que não tem nada a ver com o famoso grupo de rock) publicou em 2010 uma lista de possíveis homossexuais ugandenses com a manchete: “Enforque-os”. O ato gerou protestos no mundo todo, inclusive de entidades de defesa dos Direitos Humanos e governos. No início de 2011, David Kato, um dos principais ativistas gays do país foi espancado até a morte em sua casa.

 

O brasão no centro da bandeira de Uganda (imagem acima) contém um grou-coroado, ave conhecida por sua natureza bondosa. Ela também está presente no brasão ugandense ao lado de um cobo, um antílope comum no país.

 

Fontes: Wikipédia, Brasil Escola, Mundo Estranho.

 

Share: