O francês Victor Hugo é conhecido no Brasil por obras como Os Miseráveis, Os Trabalhadores do Mar e Notre-Dame de Paris. Seu personagem mais conhecido é Quasimodo, o corcunda de Notre-Dame. Saiba mais sobre a obra e a atribulada vida desse grande escritor através das curiosidades abaixo.

 

O escritor, poeta e político Victor-Marie Hugo nasceu na cidade francesa de Besançon, em 1802. Besançon fica na fronteira da França com a Suíça.

 

Joseph Hugo, o seu pai, foi general do exército de Napoleão Bonaparte. Isso obrigou a família a mudar de cidade diversas vezes durante a infância do escritor. Ela chegou a morar em Nápoles, na Itália, e em Madrid, na Espanha.

 

O primeiro livro de poesias de Victor Hugo, chamado Odes e Poesias Diversas, foi publicado quando ele tinha apenas 20 anos. O primeiro romance, Hans da Islândia, saiu um ano depois.

 

Antes disso, aos 15 anos de idade, ele ganhou um prêmio da Academia Francesa por um de seus poemas.

 

Aos 17 anos, fundou uma revista sobre literatura e política ao lado do irmão Abel. A publicação teve colaboradores como Alfred de Vigny (um poeta romântico francês) e Alphonse de Lamartine (escritor, poeta e político também de nacionalidade francesa).

 

Os Trabalhadores do Mar e Os Miseráveis consagraram Victor Hugo, mas seu personagem mais famoso foi, sem dúvida, Quasimodo (mais conhecido como O Corcunda de Notre Dame), do livro Notre Dame de Paris. Em 1996, livro foi transformado em desenho animado pelos estúdios Disney.

 

Publicada em 3 de abril de 1862, a obra Os Miseráveis é uma das mais adaptadas para o cinema e televisão da história da literatura. Encenada na Broadway, a peça de teatro foi vista por milhões de pessoas de diversos países. No Brasil, Os Miseráveis foi transformada em novel em 1967, com os atores Leonardo Villar e Maria Isabel de Lizandra nos papéis principais.

 

Era um escritor extremamente disciplinado. Chegava a levantar às 3h da madruga durante o verão e às 5 no inverno só para se dedicar ao trabalho.

 

Victor Hugo possuía algumas manias estranhas. Uma delas era pedir ao criado que escondesse as roupas para que, não tendo o que vestir para sair, pudesse ficar em casa trabalhando.

 

Victor Hugo passou 20 anos de sua vida no exílio. Ferrenho opositor do imperador Napoleão II, o republicano Hugo foi obrigado a sair da França e se refugiar em países como Bélgica e Reino Unido.

 

Ao que tudo indica, Victor Hugo era adepto do espiritismo. O escritor e poeta francês participou de sessões espíritas em que eram supostamente recebidas mensagens de pessoas famosas e personalidades da cultura como Moliére e Shakespeare. Ele chegou a escrever um livro contando as suas experiências com a doutrina espírita.

 

Conheceu personalidades da cultura como Alfred de Vigny, Alexandre Dumas, Alfred de Musset, Honoré de Balzac, Alphonse de Lamartine, Júlio Verne, Auguste Rodin e Franz Liszt.

 

Como não queria mais filhos, a esposa o liberou para ter a vida que quisesse. Outra versão diz que Hugo a encontrou com o seu melhor amigo. Seja o que tenha acontecido, passou a ter uma vida mais libertina. Teve diversas amantes ao longo da vida. Chegou a alugar imóveis com nomes falsos para que pudesse se encontrar com elas.

 

O funeral de Victor Hugo foi um dos mais impressionantes que a França já viu. O corpo foi velado sob o Arco do Triunfo e o cortejo acompanhado por mais de 1 milhão de pessoas. O Panteão dos Heróis da França foi reaberto para receber os seus restos mortais. Até as prostitutas de Paris ficaram de luto na ocasião.

 

A sua residência em Paris foi transformada no museu Maison de Victor Hugo, com uma exposição permanente de seu acervo.

Share: