Os primeiros colonizadores europeus batizaram o Pantanal de Mar dos Xaraés, em referência aos antigos habitantes da área: os índios xaraés.

 

O Pantanal é uma região de clima quente, com temperaturas que podem facilmente ultrapassar os 40º Celsius durante o verão.

 

A área do Pantanal cobre o sul do Mato Grosso, noroeste do Mato Grosso do Sul e leste da Bolívia e do Paraguai. Mais de 60% encontra-se em território mato-grossense-do-sul.

 

O Pantanal é uma planície extensa, com atitudes não superiores a 100 metros. É a maior planície inundável do planeta.

 

As cheias anuais da região (que normalmente começam na primavera) atingem 80% da área pantaneira.

 

O rio Paraguai despeja a cada 24 horas, por volta de 178 bilhões de litros de água na planície pantaneira.

 

A área inundada do Pantanal chega a ser equivalente a de todo o estado de Santa Catarina e a de quatro países europeus: Bélgica, Suíça, Portugal e Holanda..

 

Foram registradas por volta de 4.700 espécies de plantas e vertebrados na região pantaneira. São cerca de 3.500 espécies de plantas (incluindo a vegetação aquática), 6.656 de aves, 98 de répteis, 53 de anfíbios, 159 de mamíferos e 325 de peixes.

 

O Pantanal possui mais peixes do que todos os rios da Europa juntos.

 

O maior morcego das Américas é o pantaneiro morcego-fantasma-grande, com 1 metro de envergadura e quase 250 gramas de peso.

 

A maior serpente das Américas (e segunda maior do mundo, atrás da piton-real) é a sucuri, com até 9 metros de comprimento. As sucuri é bastante comum no Pantanal.

 

O maior peixe é o jaú, uma espécie que pode chegar a 1,5 metro de comprimento e até 120 quilos.

 

Considerado o maior felino das Américas, a onça-pintada é encontrada em todo o continente – da Argentina até o norte do México –, inclusive no Pantanal. A onça possui a mordida mais poderosa entre todos os felinos, até mais poderosa do que a do tigre e do leão.

 

O jacaré do Pantanal pode chegar a até 2,5 metros de comprimento e se alimenta principalmente de peixes. É facilmente encontrado nas margens alagadas. Só agride seres humanos se sentirem-se ameaçados.

 

O jacaré é também uma das espécies mais abundantes do Pantanal. Sua população é estimada entre 6 e 10 milhões de indivíduos (acredite, são mais de 70 para cada quilômetro quadrado).

 

Um dos animais mais temidos da região é um peixe: a piranha. Existem 36 espécies de piranha no mundo, 24 no Brasil. A responsável pela maior parte dos ataques a animais do Pantanal é a piranha-caju ou queixuda.

 

Os pantaneiros costumam ferir um boi para atrair as piranhas e possibilitar que o resto do rebanho consiga atravessar as áreas alagadas em segurança.

 

Outro animal bastante comum no local é a capivara, o maior roedor do mundo. Presume-se que exista algo em torno de 400 mil capivaras em todo a planície pantaneira.

 

A ave símbolo do Pantanal é o tuiuiú, também conhecido como jaburu. As asas abertas de um tuiuiú podem chegar a 2 metros de envergadura.

 

Dados recentes apontam o número de habitantes do Pantanal em 3 milhões de pessoas.

 

As principais atividades econômicas da região são a pecuária, pesca, turismo e agricultura.

 

O Pantanal atrai em torno de 700 mil turistas por ano, a maioria pescadores.

 

Uma das cidades que mais atrai turistas (sobretudo turistas ávidos por aventuras) é Bonito, com sua fauna exuberante e rios de água cristalina.

 

Grande parte do Pantanal é cortada por uma rodovia chamada Transpantaneira, que liga as cidades de Cuiabá e Porto Jofre.

 

O Pantanal é considerado pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura) Patrimônio Natural Mundial.

 

Você sabia que existe o Dia do Pantanal? Ele é comemorado em 12 de novembro.

Share: