Roma é conhecida por seus monumentos e relíquias históricas. É também famosa por ser o centro do catolicismo, para onde vão peregrinos do mundo todo. Descubra nas linhas a seguir um rol de curiosidades sobre essa fantástica metrópole europeia e suas inúmeras atrações.

 

Antes da fundação de Roma, a Península Itálica – onde hoje está o país que nós conhecemos como Itália – era habitada por povos como etruscos, gregos, sabinos e latinos. Os latinos receberam esse nome porque habitavam a região do Lácio.

 

A cidade de Roma surgiu no século VII antes de Cristo no Lácio, centro da Península Itálica. De acordo com uma lenda local, teria sido fundada pelos gêmeos Rômulo e Remo. Eles teriam sido abandonados num cesto e recebido os cuidados de uma loba, que os amamentou até a adoção por parte de um pastor. O primeiro monarca teria sido Rômulo. Mas…

 

Segundo os historiadores, o primeiro núcleo do que mais tarde seria a toda-poderosa Roma surgiu da aglutinação de três tribos do Lácio. Elas teriam escolhido as margens do rio Tibre, onde existem sete colinas, como o lugar ideal para se fixarem.

 

Com 2,7 milhões de habitantes, a Roma moderna é a maior cidade da Itália e a quarta do continente europeu. No total, a sua região metropolitana é habitada por 4,2 milhões de pessoas (dados do ano de 2015).

 

Ao contrário do que muitos pensam, a maior região metropolitana da Itália não é a romana, mas a milanesa. Milão e cidades vizinhas comportam 7,2 milhões de habitantes (dados de 2016).

 

Os não-italianos representam quase 10% da população romana. São em sua maioria pessoas nascidas nos demais países da União Europeia. Existe também um grande contingente de asiáticos (chineses, bengalis e filipinos, por exemplo), africanos e sul-americanos.

 

Roma é a terceira cidade mais visitada da União Europeia, depois de Paris e Londres. Recebe em torno de 8 milhões de turistas todos os anos.

 

Entre os pontos turísticos mais visitados, vale lembrar do Coliseu, do Fórum Romano, do Circo Máximo, da Fontana di Trevi, da Piazza Venezia, da Villa Borghesi e do Vaticano.

 

Roma é a única cidade no mundo com um país inteiro dentro do seu território: o Vaticano. Chamado de Estado da Cidade do Vaticano, é a sede da igreja católica e de pontos turísticos considerados imperdíveis na região, como a Basílica de São Pedro e a Capela Sistina.

 

Com a sua construção iniciada durante o reinado de Augusto e terminada por Adriano, o Panteão é uma das mais bem preservadas estruturas do antigo Império Romano. Abriga os túmulos da rainha Margherita, rei Umberto I, rei Vittorio Emanuele II e pintor Rafael.

 

Também conhecido como Anfiteatro Flaviano, o Coliseu foi construído entre os anos 68 e 79 depois de Cristo. Tinha capacidade para até 50 mil pessoas. Consta que as comemorações pela sua inauguração duraram 100 dias. Uma das principais atrações eram as lutas de gladiadores, bastante populares na Roma antiga. O Coliseu foi utilizado durante 400 anos.

 

A Piazza Venezia é um dos monumentos mais famosos da Roma atual. Recebeu esse nome em homenagem à cidade de Veneza. Sua principal atração é o gigantesco monumento ao rei Vittorio Emanuelle II (“Il Vittoriano”, uma homenagem ao primeiro rei da Itália unificada, considerado o pai da pátria italiana).

 

O Circo Máximo é uma antiga arena do Império Romano, da qual pouco resta a não ser uma ou duas ruínas. Foi utilizado em festivais e diversos jogos, como corridas de bigas. Por ser um espaço aberto, é atualmente utilizada como área de lazer pela população romana. Fica perto da Piazza Venezia e Coliseu.

 

A Villa Borghese é um dos mais atraentes parques de Roma, muito procurado pela população para o lazer. Possui área para a prática de esportes, ludoteca e até um zoológico. A maior atração, no entanto, é a Galleria Borghese, um dos mais belos museus da Itália. Com obras de Caravaggio, Correggio, Belini e Ticiano, ele atrai milhares de turistas todos os anos (isso sem contar o teto, com imagens de tirar o fôlego).

 

Inaugurada em 1762, a Fontana di Trevi é uma das atrações mais procuradas na capital italiana. Foi construída em estilo barroco e restaurada diversas vezes. Acredita-se que jogar uma moeda na fonte, de preferência de costas, atrai a boa sorte. Milhares de moedas são jogadas diariamente pelos turistas que visitam o local.

 

Uma das atrações mais curiosas da capital italiana é o museu dedicado à pasta. Chamado de Museo Nazionale dele Pasta, ele mostra os diferentes tipos de massas consumidas pelos italianos, além do modo de preparo e a história desse alimento.

 

Outra atração curiosa é a Igreja de Santa Maria della Concezione dei Cappuccini, com suas paredes revestidas de ossos, crânios e até corpos de monges capuccinos. Pode parecer uma atração macabra, mas ela atrai milhares de turistas todos os anos.

 

Adorava-se quase tudo que tivesse relação com os santos da igreja católica e com Jesus Cristo durante a Idade Média. Qualquer objeto que tivesse relação com a história e o corpo de Jesus era reivindicado pelas comunidades religiosas. A manjedoura era propriedade da Igreja de Santa Maria Maggiore e a Basílica de San Giovanni in Laterano dizia ser proprietária do “prepúcio divino”. Ambas ficam em Roma.

 

Fontes: Wikipédia, Viagem & Turismo, Blog do Valente.

 

Share: