Capital da superpopulosa China, Pequim é uma das cidades mais dinâmicas do país. Possui em torno de 17 milhões de habitantes em seu entorno. É uma cidade independente, que não é ligada a nenhuma província. Descubra nos tópicos a seguir algumas curiosidades a seu respeito.

 

Pequim é também conhecida entre os chineses como Beijing.

 

A capital chinesa mudou de nome várias vezes ao longo do tempo. Ela já foi chamada de Yanjing, Dadu e Beiping. Em tempo: Beijing significa “Capital do Norte”.

 

Com 17,4 milhões de habitantes em sua área metropolitana, Pequim é a segunda cidade mais populosa da China. A primeira é Xangai, com 19 milhões de pessoas.

 

Os distritos mais populosos são, pela ordem: Chaoyang, Haidian e Fengtai, todos na região central da cidade.

 

Pequim é uma cidade administrativa independente, ou seja, não pertence a nenhuma província. Detalhe: ela e a também independente cidade vizinha de Tianjin são cercadas pela província de Hebei.

 

O aeroporto internacional de Pequim é o segundo mais movimentado do mundo por tráfego de passageiros.

 

Um dos principais pontos turísticos de Pequim é a Cidade Proibida, erguida no período entre 1406 e 1420. Também conhecida como Cidade Proibida Púrpura, ela foi o palácio imperial entre as dinastias Ming e Qing.

 

O palácio imperial é chamado de Cidade Proibida porque somente o imperador e sua família, além dos oficiais e funcionários tinham permissão para entrar nela.

 

Pequim sediou em 2008 os Jogos Olímpicos de verão.

 

Pequim é uma cidade predominantemente seca, com chuvas abundantes apenas no verão. Embora o inverno seja rigoroso – com temperaturas muitas vezes abaixo de zero, cabe aqui destacar –, neva pouco por lá.

 

Os supersticiosos chineses possuem aversão ao número 4, que consideram agourento (o ideograma do 4 é parecido com o da morte). Por isso, tanto em Pequim quanto em outras cidades, muitos edifícios não possuem andares com esse número.

 

Existe um museu do planejamento urbano em Pequim, onde os visitantes podem conferir a história da cidade, assim como ela mudou ao longo dos séculos. Mas o que chama mesmo a atenção é a miniatura perfeita da sua área urbana.

 

Outro ponto interessante é o distrito 798, uma região inteiramente dedicada à arte. Acredite se quiser, é como se fosse um bairro com galerias e lojas de arte em todos os cantos. Com suas inúmeras estátuas, instalações e murais por todos os lados, o 798 foi fundado onde antes existia uma gigantesca desativada.

 

Existe um restaurante em Pequim cuja especialidade é pênis. Isso mesmo, lá se tem pratos com o membro de 9 animais : touro, jumento, cão, cobra, cervo, carneiro, búfalo, foca e cavalo, e como o povo acredita que o prato é afrodisíaco, não faltam clientes.

 

Os moradores de Pequim, assim como de outras cidades chinesas, costumam levar máscaras cirúrgicas (muitas vezes com filtros!) quando saem de casa em algumas épocas do ano. Motivo: os altos índices de poluição do ar. Houve ocasiões em que a poluição chegou a 30 vezes o índice considerado razoável pela Organização Mundial da Saúde.

 

Um dos pratos mais famosos e mais antigos da China é o pato de Pequim, conhecido no Brasil como pato laqueado. Servido nas cortes imperiais, ele é preparado com pato com molhos específicos e em fornos especiais. O pato fica com a pele crocante, mas macio por dentro. É servido fatiado bem fininho dentro de crepes muito finos.

 

Fontes: Wikipédia, Viagem e Turismo, Viagem Cultural, Mega Curioso.

 

Share: