Albert Einstein (1879-1955) não falou uma única palavra até os três anos de idade. Aos nove, ele tinha tanta dificuldade para se expressar que seus pais temeram que tivesse algum problema mental.

 

A ideia de que Einstein era um aluno medíocre não bate com a realidade. Tanto é verdade que, aos 11 anos, ele já se mostrava um prodígio em física.

 

Quando divulgou a teoria que o tornaria célebre, Einstein era um jovem de apenas 26 anos de idade.

 

Albert Einstein foi eleito por 100 renomados físicos do mundo como o mais memorável físico de todos os tempos.

 

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos em 1992 elegeu Thomas Edison (o inventor da lâmpada elétrica) e Albert Einstein como os maiores cientistas do milênio.

 

Em viagem à Palestina, Einstein (que, como todos sabem, foi um grande pacifista) propôs a criação de um Estado no molde suíço, onde judeus e muçulmanos dividiriam o mesmo território.

 

Com a ascensão de Adolf Hitler ao poder e com a crescente popularidade do nazismo, Einstein deixou a Alemanha e se refugiou nos Estados Unidos, onde permaneceu até sua morte.

 

Einstein teve uma filha chamada Liserl, da qual ninguém nunca tinha ouvido falar. A existência de Liserl só foi descoberta em 1987, 32 anos após a morte do físico. Segundo seus biógrafos, Liserl nasceu da relação de Einstein com a sérvia Mileva Maric.

 

Einstein recebeu o prêmio Nobel de Física de 1922. O interessante é que ele não faturou o prêmio por causa da sua famosa Teoria da Relatividade, mas por seus estudos sobre o efeito fotoelétrico (processo pelo qual a luz rouba elétrons dos átomos).

 

Segundo Einstein, quanto maior a gravidade, mais lento o tempo se torna. O tempo pode até congelar. Onde? Nos buracos negros, onde a atração gravitacional é de tal intensidade que o tempo e o espaço simplesmente deixam de existir.

 

Segundo a Teoria da Relatividade, o tempo passa mais devagar para uma pessoa que está numa espaçonave viajando na velocidade da luz do que para outra pessoa que está estacionada na Terra.

 

A Teoria da Relatividade contribuiu para a descoberta das chamadas lentes gravitacionais, distorções formadas pela gravidade, que atrai e desvia a trajetória da luz no espaço. Exemplo: grupos de galáxias desviam a luz vinda de galáxias mais distantes, criando uma espécie de ilusão de ótica nos telescópios. O interessante é que Einstein previu as lentes gravitacionais três anos antes da divulgação da Teoria da Relatividade.

 

Uma última curiosidade: a foto em que Einstein mostra a língua foi tirada em 14 de março de 1951, quando o cientista completava 72 anos. O autor foi um fotógrafo da agência de notícias United Press Internacional (UPI), que pediu que Einstein sorrisse. Bem-humorado, ele acabou mostrando a língua e… assim ficou! É o mais famoso registro fotográfico do gênio alemão. Aliás, Einstein gostou tanto dela que passou a distribuir cópias para os amigos em datas comemorativas.

 

Share: