O francês Michel de Notre-Dame (ou Nostradamus, em latim) nasceu na cidade de Saint-Rémy-de-Provence, em 1503 e faleceu em Salon-de-Provence, em 1566. É conhecido até os dias atuais em virtude de suas profecias que, segundo seus seguidores, preveem a Terceira Guerra Mundial. Confira nas próximas linhas algumas curiosidades a seu respeito, bem como sobre suas profecias.

 

Nostradamus estudou medicina na Universidade de Montpellier, onde se tornou conhecido como um jovem brincalhão e de memória prodigiosa.

 

Em virtude de uma epidemia de peste negra, perdeu a primeira esposa e os dois filhos. Apesar de trabalhar atendendo pacientes com a doença em outras regiões da França, ele nada conseguiu fazer para salvar a família.

 

Passados dez anos da morte de sua família, casou-se com uma rica viúva chamada Anne Ponsarde, com quem teve mais seis filhos.

 

Foi nessa época que aumentou o interesse do médico Michel de Notre-Dame por astrologia e ocultismo. Ele montou um estúdio que continha astrolábio, recipiente de vidro arredondado (inspirado em modelos de oráculos) e “espelhos mágicos”.

 

Geralmente estimulado por algum tipo de planta enquanto olhava para a água e para o fogo, Nostradamus fazia a maior parte das suas previsões à noite. Durante o dia, costumava atender pessoas em busca de orientação.

 

O primeiro almanaque anual com as suas previsões só foi publicado anos depois do início das experiências com conhecimentos ocultos. As Centúrias, seu principal trabalho, foi publicado em 1555.

 

As Centúrias são assim chamadas por se tratar de um conjunto de cem quadras (estrofes de quatro versos). Existem em torno de mil dessas quadras divididas em centúrias. Expressam-se em linguagem cifrada, intencionalmente obscura, sujeita a mais de uma interpretação.

 

Consta que Nostradamus escrevia suas profecias em linguagem simbólica por receio da Santa Inquisição, que perseguia a prática do ocultismo e condenava a astrologia. Torturas e condenações à morte cruéis eram práticas comuns durante a perseguição religiosa perpetrada pela Igreja Católica.

 

A popularidade dos seus almanaques abriu as portas de Nostradamus para a nobreza, tornando-o conselheiro de reis e rainhas. Uma de suas maiores admiradoras teria sido a rainha Catarina de Médici.

 

Entre as personalidades cuja existência teria sido supostamente prevista por Nostradamus constam Napoleão Bonaparte, Adolph Hitler e John Kennedy. Dizem, inclusive, que ele teria previsto o assassinato de Kennedy.

 

Os especialistas em Nostradamus afirmam que, além da morte de John Kennedy, ele teria antecipado eventos como a Revolução Francesa, a ascensão de Napoleão Bonaparte, a Primeira Guerra Mundial, a Segunda Guerra Mundial e o fim da União Soviética. Há quem acredite que os atentados terroristas de 11 de Setembro também tenham sido previstos pelo vidente.

 

Dizem que a destruição da cidade japonesa de Hiroshima foi provavelmente prevista nessas palavras retiradas das Centúrias: “Será encerrado fogo vivo, morte escondida/dentro de balões espantosamente horríveis/À noite, a cidade naval será reduzida a pó/A cidade em chama, o inimigo indulgente”.

 

Os adeptos do fim do mundo acreditavam piamente numa profecia que anunciava a chegada da Terceira Guerra Mundial em 1999. Segundo os versos “centurianos”, “No ano de 1999, sétimo mês/Do céu virá um grande rei do terror/Ressuscita o grande Rei de Angoulmouis/Antes de depois Marte reina pela felicidade”. Angoulmouis seriam provavelmente chineses e Marte (deus da guerra na mitologia) simbolizaria a morte. Ou seja, a Terceira Guerra seria um conflito envolvendo a China que começaria em 1999.

 

O que pouca gente sabe é que Nostradamus era especializado em patisserie, a confeitaria francesa. Suas receitas conquistaram a nobreza e o papado europeu. A geleia de marmelo chegou a receber elogios até do núncio papal – uma espécie de embaixador do Vaticano – que chegou a qualificá-la como “doçura celestial”. Os bolinhos de marzipã tinha como principal fã a rainha Catarina de Médici.

 

Uma das receitas mais exóticas do confeiteiro Nostradamus era uma geleia de flores, que levavam 900 rosas como ingredientes.

 

Nostradamus teria morrido aos 62 anos, em julho de 1566. Seu corpo encontra-se atualmente na capela de Nossa Senhora da igreja colegial de Saint-Laurent, em Salon-de-Provence.

 

A casa onde o profeta passou seus últimos anos em Salon-de-Provence foi convertida em museu. Estudiosos da sua obra e curiosos podem conhecê-la através de uma visita guiada de 40 minutos.

 

Fontes: Wikipédia, Guia do Estudante, Super Interessante, InfoEscola, Inexplicado – A Realidade Além da Mente e do Espaço

Share: