Você sabia que a couve é utilizada como remédio contra uma porção de doenças? Sabia que os antigos gregos usavam o aspargo como diurético? E que o agrião é considerado praga na Nova Zelândia? Descubra nas linhas a seguir uma sucessão de curiosidades, algumas muito interessantes, sobre as hortaliças e legumes.

 

O nome hortaliça é dado a produtos de horta como verduras e legumes, que podem ser consumidos crus ou cozidos. Existem diversos tipos de hortaliças, a saber: de folha (couve, alface…), de caule (salsão, aspargo…), de flor (brócolis, alcachofra…), de frutos (pepino, berinjela…), de semente (ervilha, milho verde, lentilha…), de bulbo (cebola, alho…), de raiz (beterraba, nabo, cenoura…) e de tubérculos (mandioca, inhame, batata…).

 

Um truque para não chorar ao descascar a cebola: deixando-a na geladeira por 10 minutos antes de descascá-la.

 

A cebola é ardida por causa da quantidade de enxofre que ela contém.

 

O chá de cebola é muito usado contra dores hepáticas e estomacais.

 

A cenoura é muito rica em caroteno, que é excelente para as mucosas, para a vista e para a pele.

 

Se alguém come cenoura demais sua pele fica mais escura por que o caroteno mexe com a pigmentação. Para a pele voltar ao normal, é só parar de comer cenoura.

 

Entre os romanos, a couve-flor era chamada de couve-de-Pompeia.

 

A berinjela é natural da Índia, onde costuma ser consumida com açúcar e vinho.

 

O espinafre é usado como corante para massas. Para fazer o corante, basta cozinhar o espinafre, batê-la no liquidificador e usá-la nas massas de lasanha, nhoque ou macarrão.

 

O pimentão foi levado para a Europa por Cristóvão Colombo.

 

Assim como o pimentão, o tomate era desconhecido no Ocidente. Ele foi introduzido na Europa somente em meados do século XVI. No início, porém, os europeus o usavam apenas como enfeite de mesa.

 

Chamado na Áustria de maçã-do-paraíso e na Itália de maçã-do-amor, o tomate foi, durante muito tempo utilizado como ingrediente do elixir do amor.

 

O tomate é atualmente usado como remédio para infecções no rins, para artrite e até para curar ressacas.

 

O tomate selvagem é consumido no Peru e no Equador há milhares de anos.

 

A palavra tomate vem de tomatl, o nome que tinha entre os astecas.

 

Por sua vez, a palavra alcachofra vem do árabe al-korxuf.

 

O repolho era o alimento básico dos operários contratados para construir a muralha da China.

 

O agrião é considerado um alimento excelente para os pintinhos recém-saídos do ovo.

 

O agrião se expandiu de tal forma na Nova Zelândia que é considerado praga nacional.

 

Compressas de suco de abóbora são utilizadas em queimaduras.

 

Existe uma espécie de aboboreira – a aboboreira-menina, mais precisamente – cujos frutos chegam a medir um metro e pesar mais de 20 quilos.

 

Os jardins suspensos da Babilônia continham berinjelas, cebolas, pepinos e árvores frutíferas.

 

Por falar em pepino, você sabia que ele é originário da Ásia?

 

Um pé de pepino é capaz de dar mais de 100 frutos.

 

Houve um rei francês (o fundador da dinastia carolíngia) chamado Pepino, o Breve.

 

O pepino-do-mar recebeu esse nome por causa da sua semelhança com o pepino. Detalhe: o pepino-do-mar é um animal.

 

Os antigos gregos e egípcios usavam o aspargo como diurético, expectorante, contraceptivo e afrodisíaco.

 

Os caboclos usam o suco do palmito-juçara para estancar hemorragias. Segundo eles, é só espremer o caule sobre a ferida para a hemorragia parar.

 

O palmito foi o único “fruto da terra” experimentado por Pero Vaz de Caminha.

 

O quiabo é um hibisco originário da África e veio para o Brasil com os escravos. Pouca gente sabe, mas ele é da família do algodão.

 

O chá de erva-doce ajuda a combater os gases intestinais nas crianças. Para os adultos, ele funciona como digestivo. O recomendado é tomar uma xícara de chá logo após as refeições.

 

O alho-poró é mencionado na Bíblia e é desde aquela época consumido como diurético.

 

O alho-poró foi escolhido para ser a flor nacional do País de Gales.

 

Alguns tipos de ervilhas produzem flores tão bonitas que são cultivadas como plantas ornamentais.

 

No México, de onde provavelmente é originário, os indígenas extraiam uma espécie de mel dos grãos do milho.

 

O chá feito com os cabelos da espiga do milho é excelente para os rins.

 

A mandioca é uma raiz da família das euforbiáceas, a mesma da seringueira e da mamona.

 

Dependendo da variedade, a mandioca pode atingir até 3 metros de altura.

 

Uma crendice afirma que as melhores mandiocas são aquelas plantadas durante a lua minguante e colhida nos meses que não têm a letra R.

 

A mandioca contém muita caloria e, por isso, deve ser evitada por quem está de regime.

 

A acelga já foi utilizada no combate a caspa e coriza.

 

Na Europa, a acelga cresce naturalmente, sem necessidade de cultivo.

 

O maior cogumelo comestível do mundo foi colhido no Brasil. Ele tinha um chapéu com 50 centímetros de diâmetro e pesava 18 quilos.

 

Acredite se quiser: existem mais de 38 mil espécies de cogumelos conhecidas em todo o mundo.

 

O estrume de cavalo é uma das melhores matérias-primas para o cultivo de cogumelos.

 

As folhas do chuchuzeiro são excelente alimento para o gado bovino e para os porcos.

 

Na Costa Rica, o chuchu é cultivado em encostas íngremes para impedir a erosão e desmoronamento dos morros.

 

A couve é um ótimo remédio. Ela é utilizada no combate a bronquite, asma, reumatismo e artrite. Também é excelente laxante e remédio para o físico. Seu suco é recomendado para crianças em fase de crescimento e para doenças da pele. Alivia a tensão pré-menstrual e as dores causadas pelos cálculos renais. Não é à toa, portanto, que é chamada de “médico dos pobres”.

 

Por suas virtudes medicinais, a couve foi elevada à categoria de divindade pelos antigos egípcios.

 

Os gregos também consideravam a couve uma verdura sagrada e que garantia vida longa. À propósito, ela era chamada de erva da longa vida na antiga Grécia.

 

Originária da Europa, onde nascia como erva silvestre, a couve foi trazida para o Brasil pelos portugueses.

 

A mandioquinha foi introduzida no Brasil pelo barão de Nova Friburgo e por isso ganhou o nome de batata-baroa.

 

A mostarda, aquele molho que a gente põe no cachorro-quente, é feita com os grãos da mostardeira.

 

São produzidos diversos tipos de molho de mostarda na Europa: molho de mostarda picante, molho de mostarda preta, mostarda com bacon, mostarda com mel, mostarda com curry, mostarda com wasabi e mostarda com cassis.

 

A fava foi a primeira leguminosa cultivada pelo ser humano.

 

Ao contrário da “divina” couve, a fava era considerada “maldita” pelos gregos e egípcios.

 

A batata foi durante muito tempo desprezada pelos europeus. Elas foram levadas para a Europa pelos colonizadores espanhóis. Os europeus só passaram a consumi-la quando o francês Augustin Parmentier descobriu os seus valores nutritivos.

 

A batata foi primeiramente usada na Inglaterra como complemento de pratos à base de carnes e de peixes.

 

Os maiores consumidores de batata nos dias atuais são justamente os europeus que no início tanto a desprezaram.

 

Consumir a batata crua (inclusive na forma de sucos) é recomendável para os que sofrem de problemas de estômago (úlceras) e intestino.

 

Por falar em batatas, você sabia que o suco pode ser muito bem utilizado na limpeza de talheres de prata?

 

Receita para eliminar as baratas: torre a casca da batata e espalhe nos lugares onde elas costumam se concentrar.

 

(Fonte: Almoço e Jantar – Almanaque da Cozinha, Wikipédia)

 

Share: