O Arquipélago de Galápagos tem uma extensão de 8.010 quilômetros quadrados e é composto por 13 ilhas grandes, 6 pequenas e 40 ilhotas.

 

As maiores ilhas das Galápagos são: Isabela, São Cristóvão, Santiago, Santa Cruz e Fernandina.

 

Acredita-se que as Ilhas Galápagos tenham surgido de erupções vulcânicas no oceano Pacífico ocorridas há 5 milhões de anos. A ilha Isabela é um dos lugares “mais jovens” do mundo, com apenas 1 milhão de anos.

 

As ilhas estão situadas a 1.000 quilômetros da costa equatoriana, próximas à Linha do Equador. O calor é insuportável. Curiosamente, essas ilhas são banhadas por uma corrente gelada (Corrente de Humboldt) vinda da Antártida.

 

A Corrente de Humbold banha toda a costa oeste da América do Sul, tornando os litorais do Chile, Peru e Equador extremamente gelados. Ela recebeu esse nome em homenagem ao naturalista alemão Alexander Von Humboldt.

 

Uma curiosidade sobre a Corrente de Humboldt: a evaporação das suas águas é extremamente pequena, o que contribui para deixar a umidade relativa do ar baixa no litoral oeste da América do Sul. O deserto mais árido do mundo – o Deserto de Atacama – localiza-se nessa região, mais propriamente no norte do Chile.

 

A Corrente de Humboldt leva nutrientes para a região das Ilhas Galápagos, o que torna essas águas ricas em fitoplânctons. Os fitoplânctons transformam a energia solar em matéria orgânica, o que atrai uma grande variedade de criaturas marinhas.

 

As Ilhas Galápagos possuem uma grande quantidade de animais endêmicos (que só existem naquele lugar), o que atrai a atenção de muitos naturalistas. Poucos cientistas se interessaram tanto pelas Galápagos quanto o naturalista inglês Charles Darwin. Ele observou pequenas modificações nos animais das ilhas, principalmente nos bicos de uma ave do tamanho de um pardal chamada de tentilhão. Darwin percebeu que cada bico era perfeitamente adaptado ao ambiente da ilha onde a ave vivia. Foi graças a observações como essa que ele formulou uma das mais importantes ideias da história da ciência: a teoria da evolução.

 

Das 5 mil espécies de animais das ilhas, 2 mil só existem lá e em nenhum outro lugar da Terra.

 

Oriundos do continente americano, os tentilhões – uma ave de pequeno porte parecida com um pardal – se adaptaram muito bem às ilhas. Existem 13 espécies de tentilhões nas Galápagos.

 

O primeiro morador das ilhas foi um irlandês chamado Patrick Watkins, que por lá foi abandonado em 1807. A população atual de Galápagos é de 19 mil pessoas.

 

As ilhas fazem parte da província equatoriana de Galápagos e tem como capital a pequena cidade de Puerto Baquerizo Moreno, localizada na Ilha de São Cristóvão.

 

Afinal, como surgiu o nome Galápagos? A expressão surgiu do verbo “galopar” e é uma alusão ao hábito espanhol de montar nas tartarugas gigantes do arquipélago antes de matá-las e consumir sua carne.

 

As tartarugas gigantes de Galápagos são animais de vida longa. Uma tartaruga pode passar com facilidade dos 100 anos. Recentemente, um exemplar morreu aos 176 anos no zoológico de Queensland, na Austrália.

 

As iguanas marinhas de Galápagos são capazes de mergulhar a até 40 metros de profundidade e segurar a respiração por 20 minutos.

 

Uma das espécies mais exóticas do arquipélago é o pinguim-de-galápagos. É a espécie de pinguim que vive mais ao norte do planeta. Ele nada e se alimenta na corrente gelada que banha as ilhas. Em terra, é obrigado a procurar abrigo para se proteger de temperaturas que podem chegar a 38º Celsius.

 

Uma lei criada em 1998 pelo Equador – que anos antes transformou Galápagos em parque nacional – proíbe a pesca comercial e a entrada de novos moradores nas ilhas.

 

Importante para quem sonha em conhecer as ilhas: o governo do Equador limita o número de turistas a 20 mil por ano.

 

Outra: os turistas que quiserem conhecer o Parque Nacional das Ilhas Galápagos devem seguir regras como não tocar nos animais, não jogar objetos no chão, não montar acampamentos e não andar com sacos plásticos.

 

Uma curiosidade muito interessante: o ar é tão salgado que quase todos os materiais que contém ferro são destruídos em pouquíssimo tempo pela corrosão.

 

Outra mais interessante: localizado na ilha Isabela, o maior vulcão de Galápagos chama-se Wolf. Ele está a 1.075 metros acima do nível do mar e é cercado por 2.500 mini-vulcões.

 

As Ilhas Galápagos são consideradas patrimônio da humanidade pela Organização das Nações Unidas.

 

Share: